Lusa

Saúde: Rastreio nacional do aneurisma da aorta abdominal arranca quinta-feira em Viseu (C/ ÁUDIO)

Ana Paula Martinho

Porto, 16 jun (Lusa) -- A Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular (SPACV) vai lançar na próxima quinta-feira, em Viseu, uma campanha nacional de rastreios do aneurisma da aorta abdominal que vai percorrer até março de 2012 todas as capitais de distrito.





*** serviço áudio disponível em www.lusa.pt ***





Porto, 16 jun (Lusa) -- A Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular (SPACV) vai lançar na próxima quinta-feira, em Viseu, uma campanha nacional de rastreios do aneurisma da aorta abdominal que vai percorrer até março de 2012 todas as capitais de distrito.

Na apresentação da campanha, que hoje decorreu na Faculdade de Medicina do Porto, o secretário-geral da SPAVC, Armando Mansilha, disse que este é "um programa inovador a nível nacional e europeu, que pretende reduzir a morte súbita em Portugal, provocada pelo aneurisma da aorta abdominal".

A população alvo destes rastreios são homens com mais de 65 anos, fumadores ou ex-fumadores, com hipertensão, colesterol elevado, doença cardiovascular ou história familiar de aneurisma da aorta abdominal.

"O objetivo da campanha é consciencializar a opinião pública e o poder político para a importância deste tipo de rastreio para diminuição da taxa de mortalidade", referiu Armando Mansilha.

Anualmente, realizam-se 300 intervenções cirúrgicas, mas quando há rutura do aneurisma a taxa de mortalidade é superior a 50 por cento.

A aorta, a principal artéria que distribui o sangue pelo organismo, tem origem no coração, desce pelo tórax e pelo abdómen acabando em duas artérias, uma para cada membro inferior.

O aneurisma da aorta abdominal é "o mais frequente dos aneurismas, é silencioso, não dói e só dá sinais quando rompe. Caracteriza-se por uma dilatação da artéria aorta que ao romper pode ser fatal", explicou o médico.

Estima-se que este problema afete cerca de cinco por cento dos homens entre os 65 e os 74 anos. A única forma de cura é a deteção atempada através de rastreio que consiste "numa simples ecografia, realizada por médicos especializados", referiu Armando Mansilha.

No caso de serem encontrados aneurismas de pequena ou grandes dimensões, os doentes serão encaminhados para o respetivo médico de família que promoverá a adequada vigilância ou os enviará para um serviço de angiologia e cirurgia vascular da sua área de residência.

O primeiro rastreio vai realizar-se na próxima quinta-feira, em Viseu, no âmbito do Congresso da Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular que decorrerá naquela cidade.

Os restantes rastreios vão estar distribuídos pelos fins de semana de outubro a março de 2012, em datas "a anunciar brevemente".

A divulgação da iniciativa será feita através dos órgãos de comunicação social, cartazes, centros de saúde, universidades seniores, juntas de freguesia, câmaras municipais e outras instituições e Internet (Facebook e site da SPAVC).





PM.

Lusa/fim

  • O Milagre de Jesus
    25:48