Lusa

Dois palestinianos mortos e um ferido pela polícia israelita na Cisjordânia

Mussa Qawasma / Reuters

Israel afirma que "neutralizou" três terroristas.

Dois palestinianos foram mortos e um outro ferido hoje pela polícia israelita durante uma tentativa de ataque no norte da Cisjordânia ocupada, anunciou a polícia de fronteira, que antes tinha indicado tê-los "neutralizado".

"Três terroristas dispararam na direção da base dos guardas fronteiriços de Salem", situada perto da cidade palestiniana de Jenin, indicou a polícia num comunicado.

As forças de segurança responderam com disparos, segundo a mesma fonte.

"As autoridades médicas concluíram que dois terroristas morreram", adiantou, sem precisar que os agressores eram palestinianos.

O terceiro agressor recebeu os primeiros socorros no local e foi transferido em "estado crítico" para um hospital israelita, segundo a polícia.

Foram apreendidas três armas, assim como uma faca a cada agressor, um dos quais tinha uma grande quantidade de balas.

O incidente ocorreu num contexto de grande tensão em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia, territórios palestinianos ocupados por Israel desde 1967. O primeiro foi posteriormente anexado pelo Estado hebreu.

Na quarta-feira, um jovem israelita de 19 anos morreu após ter sido atingido a tiro por um palestiniano alguns dias antes. No mesmo dia, um adolescente palestiniano, 16 anos, foi morto a tiro pelo exército israelita, segundo fontes palestinianas.

Os funerais decorreram na quinta-feira e juntaram ambos multidões.

Em Jerusalém Oriental, manifestações diárias de apoio a famílias palestinianas ameaçadas de despejo em benefício de colonos israelitas no bairro de Sheikh Jarrah têm sido pontuadas por confrontos com a polícia.

Na noite de quinta-feira para hoje, foram detidos 15 palestinianos envolvidos nesses protestos, segundo a polícia.

O enviado da ONU para o Médio Oriente, Tor Wennesland, mostrou na quinta-feira profunda preocupação com este aumento da tensão.