Cultura

Morreu sambista brasileiro Wilson das Neves

O sambista Wilson das Neves morreu na noite de sábado, aos 81 anos, no hospital da Ilha do Governador, do Rio de Janeiro, onde estava internado, com um cancro, segundo a página oficial do músico brasileiro.

"É com grande pesar que comunicamos a todos a partida do nosso grande mestre que foi tocar suas baquetas do outro lado. Ficaremos com as boas lembranças", escreveu-se na página do músico na rede social Facebook.


Conhecido no meio artístico brasileiro pelo bordão "Ô Sorte!", Wilson das Neves era baterista, instrumentista, compositor e cantor. Era, sobretudo, sambista, como cantava: "É no samba que eu vivo/Do samba é que eu ganho o meu pão/E é no samba que eu quero morrer/De baqueta na mão/Pois quem é de samba/Meu nome não esquece mais não".


A escola de samba Império Serrano, em Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, declarou luto oficial de três dias e é aí que hoje será velado o corpo do músico, de acordo com a edição online do jornal brasileiro Folha de São Paulo.


Segundo a edição online do jornal brasileiro O Globo, ainda não há informações sobre o funeral.
Baterista da banda que acompanha Chico Buarque desde 1982, Wilson das Neves começou a carreira profissional aos 18 anos e participou em oito centenas de discos com grandes nomes da música brasileira, como Elza Soares, Roberto Carlos, Caetano Veloso e Elis Regina.


Vários artistas prestaram homenagem a Wilson das Neves, como Chico Buarque e Zeca Pagodinho, que o considera "um dos mais importantes músicos brasileiros".