Cultura

Morreu Scott Walker, um dos músicos mais enigmáticos e influentes do rock

Jamie Hawkesworth / 4AD

O cantor e compositor norte-americano morreu aos 76 anos, na sexta-feira em Londres.

Experimental, psicadélico, inovador, génio, são alguns dos adjetivos que surgem quando se fala de Scott Walker, o cantor que podia ter sido uma estrela pop. Mas a voz densa e profunda de barítono deixava adivinhar outros caminhos.

No auge da fama, numa altura em que "partia o coração" das fãs e com a carreira em plena ascenção nos Walker Brothers, retirou-se para um mosteiro. Não por causa de um "esgotamento nervoso", como diziam os rumores, mas para estudar canto gregoriano.

A sua carreira a solo como "artista, produtor e compositor de uma originalidade intransigente", como classifica a editora 4AD, "enriqueceu a vida de milhares".

"Scott Walker foi um titã único e desafiador na vanguarda da música britânica: ousado e curioso, no seu trabalho ousou explorar a vulnerabilidade humana e a escuridão ímpia que a envolve".

Assim anuncia a 4AD a morte aos 76 anos de Scott Walker, sem adiantar a causa.

De ídolo de adolescentes a ícone cultural

Noel Scott Engel nasceu em Ohio em 1943, cresceu na Califórnia, queria ser ator e aprendeu a tocar baixo. Em 1964 juntou-se a John Maus e depois ao baterista Gary Leeds e formaram os Walker Brothers.

Nos Estados Unidos o sucesso não foi grande, mas no Reino Unido, para onde se mudaram, causaram grande impacto. De repente, dois singles na liderança dos tops: Make It Easy On Yourself and The Sun Ain't Gonna Shine Anymore.

A dada altura, eram tão grandes quanto os Beatles, com fãs a recebê-los aos gritos onde quer que tocassem - o clube de fãs chegou ser maior que o dos Fab Four.

No auge do sucesso, em finais dos anos 60, Scott abandona o grupo, que eventualmente acaba, para se lançar a solo - e grava então os álbuns seminais: Scott, Scott 2, Scott 3 e Scott 4.

Desaparece de novo e regressa em 1978 com uma breve reunificação da banda e o lançamento de mais um álbum conjunto.

A atividade criativa prossegue com álbuns, música para filmes, produção para outros músicos, sempre intercalada com períodos de reclusão, o que só lhe foi reforçando a reputação de misterioso.

O seu mais recente trabalho foi a banda sonora composta para o filme com Natalie Portman "Vox Lux".

De Brian Eno a Thom Yorke, os agradecimentos a Scott Walker

As homenagens não tardaram a aparecer na internet, com artistas como Thom Yorke, que confessa a importante influência que Scott Walker teve na música dos Radiohead, entre outros.

Uma cronologia musical (com a ajuda da 4AD)

Década de 1960 – Forma-se a banda Walker Brothers. Assinam com a editora Mercury Records e gravam Take It Easy with The Walker Brothers (1965) Introducing The Walker Brothers (1965) Portrait (1966) The Sun Ain't Gonna Shine Anymore (1966) Images (1967)

1965 - A banda muda-se para o Reino Unido onde "The Sun Aint Gonna Shine Anymore" e "Make It Easy On Yourself", entre outros, se tornam sucessos comerciais.

1967–69 – No auge do sucesso comercial dos Walker Brothers, Scott deixa a banda e segue a solo. Grava os álbuns seminais Scott 1 a 4. Depois desaparece de cena.

1978 – Scott reaparece para gravar "Niteflights".

1984 – O novo álbum "Climate Of Hunter" é editado pela Virgin Records.

1993 – Scott compõe "Title Track" com Goran Bregovic para o filme com Isabelle Adjani "Toxic Affair".

1995 – Novo álbum "Tilt" é editado pela Fontana.

1999 – Scott compõe e produz a banda sonora para o filme de Leos Carax "Pola X", com Guillaume Depardieu e Catherine Deneuve.

2000 – Scott faz a curadoria do South Bank Meltdown Festival.

2000 – Scott compõe e produz duas músicas para o álbum de Ute Lemper "Punishing Kiss" - 'Scope J' e 'Lullaby'.

2002 – Scott produz o álbum dos Pulp "We Love Life"

2006 – A 4AD lança "The Drift".

2006 – Compõe a canção "Darkness" para a coletânea Plague Songs.

2007 – Scott compõe a música para uma peça de dança contemporânea "And Who Shall Go To The Ball? And What Shall Go To The Ball?" com coreografia de Raphael Bonachela e interpretada por CanDoCo.

2007 – É lançado o filme documental de Stephen Kijak sobre Scott "30th Century Man".

2008 – "Drifting and Tilting – The Songs of Scott Walker", performance dirigida por Ann-Christin Rommen e interpretado no Barbican Theatre, em Londres.

2009 – Dueto com Bat For Lashes para o álbum "Two Suns".

2010 – A Royal Opera House entrega-lhe a composição da música para "Duet For One Voice", com coreografia de Aletta Collins.

2012 – O álbum "Bish Bosch" é editado pela 4AD.

2014 – Soused, álbum criado em colaboração com Sunn O))), é editado pela 4AD.

2017 – A BBC presta homenagem a Scott com o concerto Proms no Royal Albert Hall

2017 - A editora Faber publica "Sundog", livro com as letras das canções escritas por Scott, por ele selecionadas, com prefácio da escritora Eimear McBride.

2018 – Scott compõe e produz a banda sonora para o filme Vox Lux de Brady Corbet, com Natalie Portman, Raffey Cassidy e Jude Law.

  • Visíveis - Ruca
    31:30
  • A reação do presidente do Benfica no momento em que se sagra campeão
    0:35