Cultura

Quadro de Picasso encontrado 20 anos depois de ser roubado

Arthur Brand

O quadro circulou durante anos, sendo usado muitas vezes como garantia ou em negócios de droga.

Um holandês conhecido como o "Indiana Jones do mundo da arte" encontrou um quadro de Picasso que tinha sido roubado há 20 anos. Em causa está o Retrato de Dora Maar, pintado em 1938, e que deverá valer agora cerca de 25 milhões de euros.

Arthur Brand acredita que o quadro circulou pelo "submundo do crime" na Holanda durante anos, depois de ter sido levado do iate de um xeque saudita, em 1990. Dora Maar foi a musa de Pablo Picasso ao longo de sete anos, e o retrato esteve pendurado na sua casa até à morte do pintor, em 1973.

Em declarações à agência France-Presse, Arthur Brand disse que o quadro circulou durante anos, "sendo usado muitas vezes como garantia, aparecendo num negócio de droga aqui, quatro anos depois noutro ali".

"Toda a gente assumiu que tinha sido destruído - é isso que acontece com cerca de 90% da arte roubada, porque não pode ser posta à venda", disse o homem, citado pela BBC.

Como é que o retrato foi encontrado

A investigação de Arthur Brand começou em 2015, quando ouviu que um "Picasso roubado de um navio" andava a circular entre criminosos, na Holanda. Na altura, não sabia ao certo de que peça de arte se tratava e, só alguns anos depois, percebeu que era o "Buste de Femme", também conhecido como o Retrato de Dora Maar.

O quadro tinha sido roubado do Coral Island, um iate de luxo que pertencia ao milionário Abdul Mohsen Abdulmalik Al-Sheikh, que estava ancorado na comuna francesa de Antibes.

Assim que percebeu de que quadro se tratava, Arthur Brand conseguiu fazer apelos a pessoas que poderiam ter estado em contacto com a peça de arte. No início de março, conseguiu uma resposta de dois representantes de um empresário holandês, que diziam que o seu cliente tinha o quadro.

"Ele pensava que o Picasso era parte de um negócio legítimo. O negócio foi legítimo, mas o método de pagamento não."

De acordo com a emissora britânica, as autoridades francesas e holandesas não vão acusar o último dono do quadro, que está agora aos cuidados de uma empresa de seguros que vai decidir o que fazer com o retrato.

O Indiana Jones do mundo da arte

No ano passado, Arthur Brand encontrou um mosaico bizantino de São Marcos, roubado de uma igreja do Chipre, na década de 70.

Em 2016, terá sido contactado pelos próprios assaltantes de duas pinturas roubadas do museu holandês Scheringa, uma de Salvador Dali e outra de Tamara de Lempicka.

Em 2015, foi aclamado internacionalmente por ter encontrado os cavalos de Hitler, duas estátuas de bronze do escultor nazi Joseph Thorak.

  • Os populismos crescentes "não são apenas um problema europeu"
    2:01
  • “Vamos a Jogo” acompanhou Luís Filipe Vieira no dia da reconquista
    15:21
  • Visíveis - Ruca
    31:30