Cultura

Família de Avicii cria fundação para a prevenção do suicídio

Avicii em Nova Iorque, 2013

Amy Sussman / AP

O objetivo da família é homenagear o DJ sueco.

A família do DJ sueco Tim Bergling, conhecido por Avicii, anunciou esta terça-feira que vai criar uma fundação em sua memória para consciencializar as pessoas para doenças mentais e prevenção do suicídio.

Tim Bergling angariou milhões para causas como a fome mundial e a sida. A sua família herdou a enorme fortuna que deixou e vai agora garantir que o desejo do artista de efetuar mudanças positivas continua.

A fundação vai oficialmente iniciar funções a 20 de abril, data do primeiro aniversário da morte do artista.

A "Tim Bergling Foundation" vai focar-se inicialmente em apoiar pessoas e organizações que trabalhem no ramo das doenças mentais e na prevenção do suicídio e, posteriormente, expandir-se para causas ambientais, nomeadamente mudanças climáticas, assistência ao desenvolvimento, conservação da natureza e proteção de espécies ameaçadas.

A família pretende que a fundação atue não só na Suécia, como também no estrangeiro.

Depois da morte de Avicii, houve um aumento de pedidos de apoio emocional para artistas e DJ que trabalham na música eletrónica.

“O Tim queria fazer a diferença. Começar uma fundação em seu nome é a nossa maneira de honrar a sua memória e continuar a agir em seu espírito”, disse a família num comunicado.

Vida e obra

A estrela pop internacional perdeu a vida a 20 de abril de 2018 aos 28 anos, em Muscat (Omã) no seu quarto de hotel. Apesar de nenhuma causa de morte ter sido divulgada, há suspeitas de suicídio através de lesões auto-infligidas.

Avicii tinha problemas com o abuso de substâncias e depressão.

A estrela pop internacional marcou presença em festivais de música de todo o mundo e chegou a atuar, inclusive, no Rock in Rio Lisboa.

Em 2016, Bergling anunciou que iria deixar de fazer tours devido a preocupações com a saúde. O artista revelou o seu problema com o consumo de álcool, o que o levou a desenvolver pancreatite aguda. O DJ foi também submetido a uma cirurgia em 2014 para remover o apêndice e a vesícula biliar.

"Quando ele parou de fazer tours, queria encontrar um equilíbrio na vida para ser feliz e ser capaz de fazer o que mais gostava - música", disse a família de Avicii num comunicado após a sua morte. "Ele realmente lutou contra pensamentos sobre o significado, a vida, a felicidade. Ele não conseguia continuar. Ele queria encontrar a paz. O Tim não era feito para a máquina de negócios em que se encontrava; era um rapaz sensível que amava os seus fãs, mas evitou os holofotes".

A notícia da morte do performer sueco chocou a indústria da música. Avicii foi amplamente considerado um dos artistas de música mais criativos de sempre.

A estrela da EDM (Electronic Dance Music) foi premiada com um Grammy na Suécia no mês passado.

Recorde músicas como "Wake Me Up" e "Levels", dois dos maiores sucessos de Avicii.

  • Carro de Santana Lopes não tinha seguro?
    1:44