Cultura

A invulgar orquestra de vegetais que entrou para o Guinness

Vincent Kessler

No fim dos espetáculos, o público tem direito a sopa.

São a orquestra vegetal com maior número de apresentações segundo o Recorde Mundial do Guinness. Chamam-se “Orquestra Vegetal de Viena” e, ao contrário de uma orquestra comum, os instrumentos destes músicos são feitos de legumes e verduras frescas.

A ideia surgiu como uma brincadeira, depois de três membros da orquestra se terem inscrito num festival de arte na Universidade de Viena. Discutiam quais os instrumentos mais difíceis de tocar e, ao mesmo tempo que preparavam uma sopa, juntaram uma ideia à outra.

Vinte anos depois, já têm quatro álbuns no mercado, o mais recente financiado através de uma campanha de angariação de fundos online, e já tocaram em locais tão emblemáticos como o Royal Albert Hall, em Londres, e o Shangain Arts Center, na China.

Nos seus espetáculos, sempre esgotados, utilizam 10 instrumentos criados no próprio dia. Segundo a BBC, na manhã de cada atuação o grupo visita os mercados locais para comprar os vegetais que vão transformar em instrumentos. Depois de descascados e cortados, duram no máximo seis horas. Tudo o que não usam é transformado em sopa e servido ao público no fim da apresentação.

Ao longo dos anos a “Orquestra Vegetal de Viena” já criou mais de 150 instrumentos e o reportório do grupo conta uma série de géneros musicais, desde música clássica até eletrónica.

“Uma das coisas mais fascinante da digressão é aprender como os alimentos são diferentes por todo o mundo. (…) Muitas pessoas pensam que somos uma espécie de cabaré ou que fazemos apenas uma apresentação engraçada. Mas normalmente ficam surpreendidas quando descobrem que há muito potencial sonoro em legumes e verduras e que queremos fazer música realmente interessante com eles.”

No final do espetáculo, os músicos cumprem uma tradição que já tem 21 anos e oferecem os instrumentos a qualquer pessoa que os queira levar para casa.