Cultura

Festa do Cinema teve 130 mil espectadores nas salas portuguesas durante três dias

O filme mais visto durante os dias da festa foi "Pokémon: Detetive Pikachu".

A quarta edição da Festa do Cinema levou um total de 133.572 espectadores às salas portuguesas, com a oferta de sessões a preços reduzidos, entre segunda e quarta-feira, anunciou esta sexta-feira a organização da iniciativa.

De acordo com os números hoje divulgados, o terceiro e último dia da Festa do Cinema, a passada quarta-feira, "foi o mais concorrido", com um total de 56.240 bilhetes vendidos para as 1.846 sessões realizadas nesta data, de norte a sul do país.

Segundo a organização, estes números dão corpo a "uma das melhores quartas-feiras de 2019" nos cinemas portugueses, tendo sido "ultrapassada apenas pelas [quartas-feiras das] semanas de estreia dos grandes 'blockbusters' 'Como Treinares o Teu Dragão: O Mundo Secreto', 'Capitão Marvel' e 'Vingadores: Endgame'".

O filme mais visto durante os dias da festa foi "Pokémon: Detetive Pikachu", que somou 40.371 espectadores, seguindo-se "Vingadores: Endgame", em segundo lugar, e "Seduz-me se és Capaz", em terceiro, adiantam os promotores da iniciativa.

"Solum", de Diogo e Pedro Morgado, foi o quarto filme mais visto na Festa do Cinema e a primeira produção nacional na lista de preferências, conquistando 6.597 espectadores.

"Hotel Império", de Ivo Ferreira, com Margarida Vila-Nova, foi também um dos filmes mais procurados nos cinemas portugueses, durante a festa, colocando-se "entre os 20 mais vistos na Festa do Cinema 2019".

A maior adesão à iniciativa foi no distrito de Lisboa, com um total de 44.329 espectadores, seguindo-se Porto (20.561), Setúbal (15.418), Coimbra (9.522) e Faro (7.336).

Com bilhetes a 2,5 euros, esta edição da Festa do Cinema contava com mais de 10 mil sessões e mais de 94 mil lugares, em "salas, cineclubes e auditórios municipais de todo o país", tendo gerado uma receita próxima dos 334 mil euros.

Este ano, a organização juntou mais cinema português aos filmes que já estavam em cartaz, com a escolha de 18 filmes entre curtas e longas-metragens, alguns em estreia e outros em reposição.

"Diamantino", de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, "Snu", de Patrícia Sequeira, "Gabriel", de Nuno Bernardo, "Até que o porno nos separe", de Jorge Pelicano, e "Hotel Império" foram alguns desses filmes, assim como as curtas-metragens "Kids Sapiens Sapiens", de António Aleixo, "Sleepwalk", de Filipe Melo, "Entre Sombras", de Mónica Santos e Alice Guimarães, e "Terra Ardida", de Francisco Romão.

Numa parceria com a Academia Portuguesa de Cinema, foram ainda exibidos títulos distinguidos com os Prémios Sophia, como "Raiva", de Sérgio Trefaut, "O Labirinto da Saudade", de Miguel Gonçalves Mendes, "Cabaret Maxime", de Bruno de Almeida, e "Parque Mayer", de António-Pedro Vasconcelos.

A Festa do Cinema é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Empresas Cinematográficas, com apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual, da Associação Portuguesa de Defesa das Obras Audiovisuais e da Associação para a Gestão Coletiva de Direitos de Autor e de Produtores Cinematográficos e Audiovisuais, e tem como objetivo "promover o envolvimento do público com o ato cultural de assistência cinematográfica em sala", numa altura em que o consumo de cinema se dispersa por múltiplos ecrãs fora do circuito de exibição.

Pela primeira vez, a iniciativa vai ter uma segunda edição, no outono, em data a anunciar.

Em 2018, a Festa do Cinema contou com 246.221 espectadores.

Lusa