Cultura

MNE rejeita obras de arte desaparecidas em Embaixadas

Ministério garante que todas as obras foram localizadas com sucesso.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros garante que todas as obras que fazem parte da Coleção de Arte Contemporânea do Ministério da Cultura e que foram cedidas a Embaixadas e Consulados foram localizadas com sucesso.

À SIC, fonte do MNE explica que após "um pedido formal do Ministério da Cultura", feito em janeiro, "foi confirmada a localização das obras cedidas ao MNE e que se encontram expostas nas Embaixadas": o Ministério contabiliza sete obras na Embaixada de Portugal em Londres, Reino Unido; 13 na Embaixada portuguesa em Harare, no Zimbabué; e 12 em Pequim, na China.

De acordo com um funcionário do Estado que esteve em contacto com a coleção em causa, citado pelo Expresso, "no início dos anos 2000, quando se tentou recuperar muitas dessas peças, grande parte das embaixadas não sabia onde as tinha”.

À SIC, o Ministério dos Negócios Estrangeiros assegura que "mantém, atualizado, um inventário com a localização das diversas obras cedidas".

A chamada Coleção SEC é composta por 1367 obras de arte que começaram a ser adquiridas pelo estado a partir de 1976. O inventário levado a cabo pela Direção-Geral do Património Cultural não conseguiu localizar 170 dessas obras.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca rejeitou que as obras em causa estejam desaparecidas. A governante prefere dizer que “algumas necessitam de uma localização mais exata”.