Cultura

Inventário de obras de arte do Estado concluído até ao final do ano

O despacho foi assinado pela ministra da Cultura e remetido para a Direção Geral do Património Cultural.

O inventário da coleção de obras de arte do Estado terá que ficar concluído até ao final do ano.

O despacho foi assinado pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, e remetido para a Direção Geral do Património Cultural. Para além do inventário, serão ainda avaliados os protocolos existentes e criada uma proposta de programação para a exibição das obras de arte para o biénio 2020/2021.

A ministra anunciou ainda a criação de uma solução tecnológica para garantir não só o inventário, mas também a coleção. Uma resposta que surge depois do caso polémico revelado pelo Expresso em junho que dava conta de 170 obras de arte do Estado que estão desaparecidas. Na altura, Graça Fonseca disse que não estavam desaparecidas, mas sim em parte incerta.

Com início em 1976, a coleção é composta por mais de um milhar de obras de arte que se encontram dispersas por diversas instituições e organismos.