Cultura

Nicki Minaj cancela concerto na Arábia Saudita para defender direitos das mulheres e LGBT

Vianney Le Caer

Anúncio surgiu após grande pressão dos fãs e críticos dos direitos humanos do país.

A rapper Nicki Minaj cancelou a performance marcada para o festival “Jeddah World Fest” na próxima semana, justificando-se com o apoio aos direitos das mulheres e à comunidade LGBT.

Desde que a sua presença foi anunciada no festival que os críticos dos direitos humanos do país têm escrutinado o anúncio, levantando diversas questões.

Entre os assuntos trazidos à discussão, está de que forma iria a cantora levar a palco um espetáculo como os que o seu público está habituado, sem que isso causasse transtornos às autoridades do país.

A rapper é conhecida por utilizar indumentárias reveladoras e usar linguagem explicita nas músicas e tal seria um problema num reino ultraconservador, como a Arábia Saudita.

Nicki Minaj recordou no Twitter um episódio em que atuou na Jamaica e se esqueceu de censurar algumas palavras. Conta que ao sair do palco se viu rodeada de polícias armados para a prenderem.

A artista esclareceu num outro post que o caso teria sido muito mais grave se acontecesse num país como a Arábia Saudita, em que as mulheres vivem de forma bastante condicionada.

Nicki Minaj recebeu uma carta aberta da Fundação para os Direitos Humanos, que alertava para diversas questões. Pediam-lhe para que recusasse o dinheiro do regime e usasse a sua influência para exigir que as mulheres ativistas presas no país fossem soltas.

Num comunicado enviado à Associated Press, Nicky declarou que "Não quero mais nada que atuar para os meus fãs na Arábia Saudita, mas após estudar melhor todos estes problemas, acredito que é importante para mim expressar de forma clara que apoio os direitos das mulheres, da comunidade LGBTQ e a liberdade de expressão"

Desde então tem levantado diversas questões nas redes sociais, entre eles se “Pode um gay assumido ir ao meu concerto sem ser preso?”, fazendo com esta questão ponte para o facto de na Arábia Saudita a homossexualidade ser considerada crime, punível com pena de morte.

  • Doente deitada no chão do hospital?
    2:20