Cultura

“Cães que ladram aos pássaros”, de Leonor Teles, em competição no Festival de Veneza

Estreia mundial da curta-metragem rodada no Porto.

Uma Pedra no Sapato

O filme português “Cães que ladram aos pássaros”, de Leonor Teles, vai estar em competição no 76.º Festival de Cinema de Veneza, que decorre de 28 de agosto a 07 de setembro em Itália, foi hoje anunciado.

O filme integra a secção competitiva Orizzonti, sub-secção de curtas-metragens , de acordo com a produtora Uma Pedra no Sapato num comunicado hoje divulgado.

"O filme acompanha os dias de verão de Vicente e da sua família, obrigados a sair da sua casa no centro do Porto, por força da especulação imobiliária", lê-se no comunicado.

O nome de Leonor Teles, de 27 anos, sobressaiu no cinema português em 2016, quando venceu o Urso de Ouro, o prémio máximo do festival de Berlim, com "Balada de um batráquio".

Depois das curtas-metragens "Rhoma Acans" e "Balada de um batráquio", Leonor Teles assinou em 2018 a primeira longa documental, “Terra Franca”, vencedora de uma dezena de prémios, que acompanha a vida de Albertino Lobo, um pescador de Vila Franca de Xira (onde a realizadora nasceu) ligado desde sempre ao rio Tejo.

A programação do 76.º Festival de Cinema de Veneza está a ser apresentada hoje em conferência de imprensa em Veneza.

SINOPSE

As aulas terminaram e sente-se uma azáfama no ar. Os turistas enchem as ruas e os cafés do Porto. O velho e decadente é agora vendido como ponto alto da gentrificação. Vicente pedala pela cidade montado na sua Órbita azul e observa a transformação urbana a cada dia que passa. O Porto já não é o mesmo e ele também não. Entre família e amigos, Vicente vive com expectativa os primeiros dias de férias, que trazem a promessa de mudança e a incerteza de uma vida nova.

Em 2016, o ator português Nuno Lopes foi distinguido pelo júri da secção Orizzonti, em Veneza, com o Prémio Especial de Melhor Ator, pelo seu desempenho no filme "São Jorge", de Marco Martins.

Esta secção competitiva, paralela à competição principal, visa a distinção de filmes que arrisquem "novos horizontes", em termos estéticos e de produção.

"A Herdade" de Tiago Guedes na competição principal

A programação do 76.º Festival de Cinema de Veneza, apresentada hoje em conferência de imprensa, em Veneza, integra outros dois filmes portugueses: “A Herdade”, de Tiago Guedes, e “Francisca”, de Manoel de Oliveira.

“A Herdade”, que se estreia em Portugal a 19 de setembro, vai competir pelo Leão de Ouro, o galardão principal do festival.

O filme, uma coprodução da Leopardo Filmes e da Alfama Filmes, conta a “saga de uma família proprietária de um dos maiores latifúndios da Europa, na margem sul do rio Tejo, […] fazendo o retrato da vida histórica, política, social e financeira de Portugal, dos anos 40, atravessando a revolução do 25 de Abril e até aos dias de hoje”.

Com argumento de Rui Cardoso Martins e Tiago Guedes, com a colaboração de Gilles Taurand, o elenco é composto por Albano Jerónimo, Sandra Faleiro, Miguel Borges, João Vicente, Ana Bustorff, Beatriz Brás, entre outros.

“Francisca”, de Manoel de Oliveira, exibido na secção Venice Classics

“Francisca” (1981), de Manoel de Oliveira, será exibido na secção Venice Classics, na qual é apresentada “uma seleção das melhores versões restauradas de clássicos do cinema, da responsabilidade de arquivos de cinema, instituições culturais e produtoras de todo o mundo”.

As obras exibidas na secção Venice Classics competem pelos prémios de Melhor Filme Restaurado e Melhor Documentário sobre Cinema, cujos vencedores são escolhidos pelo Júri de Estudantes de Cinema, presidido pela realizadora e argumentista Costanza Quatriglio.

A 76.ª edição do Festival de Cinema de Veneza abre oficialmente a 28 de agosto com o filme "La vérité", do realizador japonês Hirokazu Kore-eda, protagonizado por Catherine Deneuve, Juliette Binoche e Ethan Hawke.

O cineasta espanhol Pedro Almodóvar vai receber o Leão de Ouro pela carreira.

Com Lusa