Cultura

Atriz francesa acusa realizador de cinema de abusos sexuais

Alegada vítima era menor na altura dos acontecimentos.

A atriz francesa Adele Haenel acusa o realizador de cinema Christophe Ruggia de a ter abusado quando tinha 12 anos. Numa entrevista ao site francês Mediapart, a mulher de 30 anos revela como foi sujeita a “assédio sexual permanente” e a “beijos forçados no pescoço”.

Apesar da atriz não ter apresentado queixal formal, o Ministério Público francês anunciou na segunda-feira a abertura de uma investigação ao realizador cinematográfico por “alegadas agressões sexuais a uma menor” e “assédio sexual”.

Christophe Ruggia já veio negar as acusações, com o advogado de defesa a garantir que o homem de 54 anos foi “destruído por este artigo”.

De acordo com Adele, os abusos aconteceram durante as gravações do filme “Les Diables”, onde interpretava uma menina com autismo. A atriz afirmou ainda que se sentiu encorajada a revelar os abusos depois de ter visto o documentário sobre as alegadas vítimas de Michael Jackson, “Leaving Neverland”.

“Quando vi ‘Leaving Neverland’ entendi que tipos de mecanismos são utilizados para controlar as pessoas. Senti que era minha responsabilidade falar. Ele era um homem adulto com quase 40 anos que, todos os domingos, se metia num quarto com uma jovem entre os 12 e 15 anos e tentava tocar-lhe”, cita a CNN.

As acusações de Adele surgem após sete meses de investigação do site Mediapart, que falou com mais de 30 pessoas. Algumas das testemunhas estiveram também envolvidas no filme “Les Diables”.

Entretanto, Christophe Ruggia foi expulso da Society of French Film Directors.