Cultura

Milhares de críticas ao intervalo do Super Bowl com Shakira e Jennifer Lopez

Shannon Stapleton

Telespetadores falam num “espetáculo pornográfico” e inapropriado para crianças.

A Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos recebeu 1,312 queixas formais de telespetadores sobre o espetáculo de intervalo do Super Bowl que este ano ficou a cargo das cantoras Shakira e Jennifer Lopez.

As duas artistas animaram os 15 minutos de intervalo do evento anual mais visto nos EUA com os seus grandes êxitos, como "Hips Don't Lie" ou "Jenny From the Block", mas nem todos os espectadores gostaram da coreografia.

A maioria das queixas a que a CNN teve acesso são de pais que consideram que os seus filhos foram expostos a um “espetáculo pornográfico” e inapropriado para crianças. Falam em momentos “extremamente explícitos”, criticam a pouca roupa e as excessivas “poses sexuais”.

Outras queixas mencionam o movimento #MeToo e dizem que o espetáculo encoraja o tráfico sexual.

“Isto transporta-nos para uma altura em que o valor das mulheres era medido pela sua sexualidade e não pela inteligência e personalidade, e não aprecio isso numa transmissão que deveria ser apropriada a famílias”, lê-se numa das queixas.

A maioria das queixas inclui também ameaças de um boicote à Pepsi, patrocinador do evento, ao Super Bowl e até mesmo à NFL, a liga profissional de futebol americano.

O Super Bowl foi visto por mais de 100 milhões de telespetadores.

Reveja aqui a performance de Shakira e Jennifer Lopez

  • 160 mortes de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O último balanço da DGS dá conta de 7.443 infetados com o novo coronavírus em Portugal. Desses, 160 morreram e 43 recuperaram. Mais 20 óbitos e 1.035 casos em relação a ontem. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

    Direto

    SIC Notícias