Cultura

Sessão de Cinema: “O Amigo Americano”

"O Amigo Americano": um romance de Patricia Highsmith recriado por Wim Wenders

João Lopes

João Lopes

Crítico de Cinema

Autor alemão muito influenciado pelo cinema de Hollywood, Wim Wenders adaptou em 1977 um romance de Patricia Highsmith: “O Amigo Americano” é uma história de objectos de arte e falsificadores, com Bruno Ganz e Dennis Hopper

Figura central do moderno cinema alemão, Wim Wenders (n. 1945) é um autor que sempre cruzou a fidelidade às suas raízes europeias com a atracção cinéfila pelos EUA. O exemplo de “Paris, Texas” (Palma de Ouro de Cannes/1984) será o símbolo mais universal da sua dinâmica criativa. Em qualquer caso, antes desse título, são várias, e muito significativas, as incursões de Wenders pelo imaginário cultural americano — com especial destaque para “O Amigo Americano” (1977), um dos seus filmes agora disponíveis numa plataforma de streaming.

Em tom de "thriller" intimista, trata-se de uma adaptação de “Ripley’s Game”, de Patricia Highsmith, terceiro título de um quinteto de romances que a escritora dedicou à personagem de Tom Ripley, assassino sempre envolvido nos circuitos de falsificação de objectos artísticos. Curiosamente, este mesmo romance seria filmado por Liliana Cavani, em 2002, conservando o título original (entre nós lançado como “O Jogo de Mr. Ripley”).

Ripley e Jonathan Zimmermann, um especialista em restauro de pintura, são as personagens centrais de uma teia de manipulações e crimes que, perversamente, prolonga o comércio marginal dos objectos artísticos. A saber: qual o original, qual a cópia? Que é como quem diz: quem mente, quem diz a verdade?

Zimmermann é interpretado por Bruno Ganz, presença emblemática do cinema de Wenders — em 1987, seria um dos anjos de “As Asas do Desejo”. No elenco encontramos várias figuras lendárias de Hollywood: desde logo, Dennis Hopper no papel de Ripley (dois anos antes da sua participação em “Apocalypse Now”) e ainda os realizadores Nicholas Ray e Samuel Fuller. Nesse período, Wenders acompanhou de perto a grave situação de saúde de Ray, acabando mesmo por realizar um filme sobre o seu período final: chama-se “Nick’s Movie - Um Acto de Amor” (1980) e está disponível em edição em DVD.

Filmin

  • 21:07