Cultura

"O teatro é fundamentalmente feito de pessoas que não vemos"

Iryna Shev

Iryna Shev

Jornalista

Euclides Semedo

Euclides Semedo

Repórter de Imagem

Marisabel Neto

Editor de Imagem

A SIC visitou os bastidores do Teatro Nacional D. Maria II que prepara a nova temporada, em tempos de pandemia.

É já no início de setembro que o Teatro Nacional D. Maria II começa uma nova temporada.

A reabertura dá-se com dois espectáculos da temporada anterior, que nunca chegaram a estrear, por causa da pandemia.

São eles "A vida vai engolir-vos", encenação e adaptação de Tónan Quito, a partir de textos de Anton Tchékov, e "Aurora Negra", de Cleo Tavares, Isabél Zuaa e Nádia Yracema.

Além destas duas peças, o Teatro está já a ensaiar "Última Hora", com textos de Rui Cardoso Martins e encenação de Gonçalo Amorim.

A SIC visitou os bastidores onde os preparativos para a reabertura são condicionados pelas regras da Direção-Geral da Saúde, por causa da pandemia do novo coronavírus.

"O uso de uma máscara, num ensaio de teatro, limita imenso. Porque o teatro vive da expressão do ator, da voz, vive da sua capacidade de se aproximar do outro, vive do contacto físico, também", explica Tiago Rodigues do Teatro Nacional D. Maria II.