Cultura

Netflix processada no Texas por distribuir filme francês "Mignonnes"

Dado Ruvic

O júri que acusou a plataforma de streaming entendeu que o filme não tem "nenhum valor literário, artístico, político ou científico real".

A Netflix foi processada no estado norte-americano do Texas por distribuir o filme francês "Mignonnes", acusado de sexualizar as crianças, revelou uma autoridade local.

Segundo um documento divulgado por essa fonte, a plataforma de streaming foi acusada por um júri no condado de Tyler, a leste de Houston.

Na acusação é referido que a Netflix "promoveu conscientemente" imagens que retratam a "exibição obscena" de órgãos sexuais de menores, instando a "um interesse lascivo por sexo", considerado crime no estado do Texas.

O júri também entendeu que o filme não tem "nenhum valor literário, artístico, político ou científico real".

O secretário do condado de Tyler confirmou à AFP que "ainda não foi marcada nenhuma data para a audiência".

Um porta-voz da Netflix disse à AFP que "Mignonnes" é uma "crítica social contra a sexualização de crianças", considerado que "a acusação é infundada" e garantido que a plataforma continua a apoiar o filme.

No início de setembro, o senador republicano do Texas, que disse na altura não ter visto o filme, pediu às autoridades que investigassem possíveis violações das leis que proíbem a pornografia infantil.

O procurador-geral do Texas, Ken Paxton, também apelou à Netflix que retirasse o filme da plataforma.

Também no início de setembro, através das redes sociais, milhares de pessoas apelaram ao boicote à Netflix.

O filme, que ganhou um prémio para melhor realizador no prestigioso Festival de Cinema de Sundance, conta a história de Amy, uma rapariga parisiense de 11 anos que tem de fazer equilíbrios entre as regras rigorosas da sua família senegalesa e a 'tirania' da aparência e das redes sociais.

A jovem juntou-se a um grupo de dança formado por três outras raparigas do seu bairro, cujas coreografias são por vezes sugestivas, como as de muitas estrelas pop atuais.

Mais de 200.000 'tweets' utilizaram a palavra-chave #CancelNetflix (cancele a Netflix), tornando-a, durante algum tempo, na primeira "hashtag" global no Twitter.

Uma primeira vaga de críticas em agosto levou a Netflix a retirar o poster e a fotografia utilizada para promover o filme, que foi lançado nas salas de cinema em França em meados de agosto, antes de estrear nos Estados Unidos em setembro, com o título "Cuties". A plataforma também tinha pedido desculpa por utilizar um poster "inadequado".