Cultura

Gonçalo Fonseca distinguido com prémio internacional de fotografia

Gonçalo Fonseca

O fotógrafo português retratou a dramática situação dos residentes em habitações de Lisboa.

O fotógrafo português Gonçalo Fonseca foi distinguido com o prémio Leica Oskar Barnack 2020, na categoria novos talentos, por um trabalho realizado em Lisboa sobre a crise da habitação, anunciou esta sexta-feira o concurso internacional de fotografia.

O fotógrafo foi distinguido na categoria "Newcomer", criada para premiar novos talentos, pelo trabalho intitulado "New Lisbon", uma série que reporta a dramática situação dos residentes em habitações de Lisboa, cujos preços têm subido exponencialmente nos últimos anos, descreve o sítio ´online´ do galardão.

No trabalho fotográfico, Gonçalo Fonseca, de 27 anos, nascido em Lisboa, relata histórias individuais de alguns dos residentes que perderam as suas casas, expondo as consequências da gentrificação na capital, que já provocou a perda de residências de mais de 10 mil pessoas, segundo o texto que acompanha as imagens.

Nas fotografias, que foram publicadas no semanário Expresso, são visíveis as difíceis condições de vida das pessoas e a forma como procuram adaptar-se ao impacto da pressão imobiliária, improvisando lugares de abrigo.

"O ´boom´ do turismo, a especulação imobiliária e a progressiva gentrificação provocaram a deslocação de milhares de pessoas da cidade, alguns deles depois de viver toda a vida em casas antigas. Muitas destas pessoas ficaram sem abrigo ou tornaram-se ocupantes ilegais" de edifícios abandonados, acrescenta o texto.

Após ter estado a trabalhar na Índia em 2018, o fotógrafo regressou a Lisboa e ficou impressionado com as mudanças que viu na cidade onde nasceu, e sentiu que tinha de documentar essas alterações aceleradas.

"Continuo em contacto com a maioria destas pessoas, que deram um passo de coragem ao partilharem comigo a história das suas vidas", diz Gonçalo Fonseca no mesmo texto.

Além da distinção, o fotógrafo português irá receber uma câmara Leica no valor de 5.000 euros, e um curso na sede da marca em Wetzlar, na Alemanha.

Gonçalo Fonseca nasceu em 1993, estudou Jornalismo na Universidade Católica de Lisboa (2011-2014), e decidiu dedicar-se totalmente à fotografia, tendo continuado os estudos na Universidade Autónoma de Barcelona, em Espanha.

Tem realizado trabalhos em Portugal, Espanha, China e Índia para várias publicações internacionais desde 2017.

O prémio Oskar Barnack, que leva o nome do inventor da marca Leica de máquinas fotográficas, foi atribuído pela primeira vez em 1979, pelo centésimo aniversário do nascimento do criador.