Cultura

Sociedade Portuguesa de Autores realça qualidade da obra de Carlos do Carmo

Chris Pizzello

Carlos do Carmo faleceu hoje, aos 81 anos, em Lisboa.

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) recorda "a qualidade excecional" da obra e do "empenho cívico" de Carlos do Carmo, numa nota de pesar pela morte, esta sexta-feira, do fadista, ocorrida em Lisboa, aos 81 anos.

Associado da SPA desde 29 de setembro de 1997, Carlos do Carmo foi distinguido pela cooperativa com o Prémio de Consagração de Carreira em maio de 2001 e recebeu a Medalha de Honra durante a celebração do Dia do Autor Português, a 22 de maio de 2015.

A cooperativa, que traça o percurso artístico de Carlos do Carmo, destaca os álbuns "Um Homem na Cidade" e "Um Homem no País", com textos de José Carlos Ary dos Santos (1937-1984), como "essenciais para a renovação do fado e para a consolidação da sua brilhante carreira nacional e internacional que o levou a atuar em grandes salas por todo mundo".

"Foi um cantor que sempre respeitou a obra dos poetas, de Vasco Graça Moura e Herberto Helder, passando por muitos outros", realça a SPA.

A organização lembra ainda que Carlos do Carmo "foi uma figura central na criação do Museu do Fado e na candidatura do fado a património imaterial da humanidade".

O fadista "foi sempre um homem comprometido com a luta pela liberdade e pela cidadania, reafirmando a sua crença religiosa, e assumindo publicamente a proximidade política com o PCP depois do 25 de Abril de 1974", escreve a SPA.

Para a cooperativa, "o Grammy Latino que recebeu em Las Vegas [em 2014] constituiu mais um passo importante para a sua consagração internacional como cantor de referência".

"Da sua vasta discografia ficam os concertos gravados na sala da Alte Oper [ópera antiga] de Frankfurt, o disco feito com Bernardo Sassetti ao piano e um outro mais recente com a pianista Maria João Pires", salienta a SPA referindo teve "o caráter inovador da obra e da carreira" de Carlos do Carmo.

A SPA lembra igualmente a viúva de Carlos do Carmo, Maria Judite, "companheira sempre presente, nos palcos e nos estúdios como na vida, ao longo de mais de meio século".

Vida e Obra de Carlos do carmo

Nascido em Lisboa, em 21 de dezembro de 1939, Carlos do Carmo era filho da fadista Lucília do Carmo (1919-1998) e do livreiro Alfredo Almeida, proprietários da casa de fados O Faia, em Lisboa, onde começou a cantar, até iniciar a carreira artística em 1964.

Vencedor do Grammy Latino de Carreira, que recebeu em 2014, o seu percurso passou pelos principais palcos mundiais, do Olympia, em Paris, à Ópera de Frankfurt, do 'Canecão', no Rio de Janeiro, ao Royal Albert Hall, em Londres.

Despediu-se dos palcos no passado dia 09 de novembro de 2019, com um concerto no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

"No Teu Poema", "Um Homem na Cidade", "Flor de Verde Pinho", "Os Putos", "Canoas do Tejo", "Lisboa, Menina e Moça", "Bairro Alto", "Por Morrer uma Andorinha", "Fado do Campo Grande" ou "Fado da Saudade", com o qual ganhou um Prémio Goya, em Espanha, foram alguns dos seus êxitos.

  • 2:34