Cultura

A despedida de Carlos do Carmo. Cerimónias fúnebres marcadas para segunda-feira

O músico ficará num cemitério em Lisboa, a cidade que cantou toda a vida.

As cerimónias fúnebres de Carlos do Carmo realizam-se esta segunda-feira, dia em que o Governo decretou luto nacional pela morte do fadista.

Homenageado e condecorado várias vezes em vida

Em vida, Carlos do Carmo foi homenageado e condecorado muitas vezes. Além das distinções na música, em 1997 recebeu a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique das mãos de Jorge Sampaio. Em 2016, Marcelo Rebelo de Sousa agraciou-o com o grau de Grande Oficial da Ordem do Mérito.

“Foi uma figura a vários títulos excecional. Um grande intérprete do fado, um grande intérprete da canção portuguesa. Foi, não o esqueçamos e nisso ele foi único, o grande, grande promotor da candidatura do fado a Património Imaterial da Humanidade. Foi ele o rosto dessa campanha, foi o rosto dessa vitória.” relembrou Marcelo.

Da cultura à política, o país reconhece a marca que deixou no fado e o papel na transição para a democracia.

“Foi fundamental para reconciliar o fado com a nossa democracia e libertá-lo daquela ideia tão errada, da tentativa de apropriação por parte do Estado Novo do fado como um símbolo seu. Porque, de facto, libertou o fado de qualquer rótulo de regime e devolveu o fado aquilo que é, a grande canção nacional, popular, que é hoje um símbolo de todos nós." afirmou o primeiro-ministro, António Costa.

Governo propõe distinção a título póstumo

A título póstumo, o Governo propõe que seja distinguido com a Ordem da Liberdade. Numa nota enviada à comunicação social, o executivo declara que foi com “extrema consternação e profundo pesar que tomou conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo e decidiu decretar um Dia de Luto Nacional a concretizar-se na próxima segunda-feira, 4 de janeiro.”

Dia que coincide com as cerimónias fúnebres do fadista. O corpo de Carlos do Carmo estará na Basílica da Estrela. O velório começa às 09:00 e às 14:00 será realizada uma missa. O músico ficará num cemitério em Lisboa, a cidade que cantou toda a vida.

Na próxima terça-feira, durante o espetáculo de abertura da presidência portuguesa da União Europeia, será também prestada uma homenagem.

Carlos do Carmo morreu no primeiro dia de 2021. Não resistiu ao pós-operatório a um aneurisma da aorta abdominal. Tinha 81 anos.