Cultura

A nova vida do Menir da Caramujeira

Euclides Semedo

Euclides Semedo

Repórter de Imagem

Ricardo Piano

Ricardo Piano

Editor de Imagem

O Museu Nacional de Arqueologia está a preparar uma exposição onde vai expôr um menir com cerca de 8 mil anos. A peça descoberta entre 1974 e 1975 estava num local inacessível ao público e não era movida há 4 décadas.

Desde os anos 80 que o menir da Caramujeira permaneceu escondido num canto sem destaque do Museu Nacional de Arqueologia. Descoberto em Lagoa, no Algarve, é um exemplar raro por ser talhado em duas peças de calcário, esta, superior, com quase 4 toneladas, foi movida pela primeira vez em 40 anos para marcar o início da próxima exposição do museu lisboeta.
"Ídolos. Olhares Milenares", desenvolvida em parceria com Museu Arqueológico de Alicante, ainda não tem data de inauguração, mas assim que terminar o confinamento, ficará exposta no museu até início de outubro.
Depois de encerrada a exposição, o menir não voltará onde estava e ficará exposto num local com mais destaque e acessível ao público.