Cultura

Ministra da Cultura e representantes do setor reúnem-se de urgência

Em causa estão os apoios sociais que excluíram centenas de profissionais.

A ministra da Cultura reuniu-se, esta quarta-feira, de forma digital, com os representantes dos trabalhadores do setor que tutela. Em causa estão questões relacionadas com o apoio social. Em janeiro, Graça Fonseca tinha anunciado a atribuição universal de um valor de 438 euros aos profissionais da cultura, mas o apoio não está a chegar a grande parte dos trabalhadores.

Centenas de profissionais receberam um email a informar que o apoio passou para o “estado não validado”. Um dos problemas destacado pelos profissionais do setor, durante a reunião de emergência com a tutela, está relacionado com o código de atividade económica (CAE). Os trabalhadores que não tenham a atividade cultural como CAE principal, ficam de foram do apoio.

À SIC, o Ministério da Cultura esclareceu que o requisito do CAE na área, à data da apresentação do pedido ao apoio, mantém-se obrigatório. Garantiu ainda que vai fazer uma adaptação para que todos os trabalhadores independentes que tenham iniciado atividade no ano passado passem também a ter acesso aos 438 euros, relativos aos meses de março, abril e maio.