Cultura

Sessão de Cinema: "A Vila"

Opinião

Bryce Dallas Howard na companhia dos fantasmas

Na filmografia de M. Night Shyamalan, “A Vila” distingue-se por um elenco de luxo, liderado por Bryce Dallas Howard e Joaquin Phoenix.

Agora que está quase a chegar às salas o novo filme realizado por M. Night Shyamalan (“Old / Presos no Tempo”), vale a pena recordar um dos títulos emblemáticos da sua filmografia: “A Vila” (original: The Village), acessível em streaming. Será, além do mais, aquele em que Shyamalan reuniu o mais espectacular elenco de toda a sua carreira, incluindo os nomes de Bryce Dallas Howard, Joaquin Phoenix, Adrien Brody, Sigourney Weaver e William Hurt.

Como é hábito, tudo parte de uma premissa com tanto de directo como de misterioso. A saber: a vila (ou aldeia…) a que se refere o título apresenta-se assombrada por figuras que se manifestam através de aparecimentos fugazes, mas que parecem afectar todos os habitantes, “empurrando-os” para a loucura ou a morte…

Dir-se-ia o ponto de partida de um clássico filme de terror. E não deixa de o ser, mas só até certo ponto. Isto porque a encenação de Shyamalan escapa às convenções do género, gerando uma experiência sensorial em que, no limite, o espectador é, também ele, “empurrado” para acompanhar os acontecimentos a partir do ponto de vista de algumas das personagens principais — os fantasmas existem numa estranha intimidade com os seres humanos.

Lançado em 2004, não terá sido um dos sucessos mais significativos da trajectória de Shyamalan — o seu top no “box office” continua a ser liderado por “O Sexto Sentido” (1999). Mas até por isso merece ser descoberto. Nele encontramos, afinal, o singular cruzamento de dois temas fulcrais no universo do seu autor: o anti-naturalismo da dimensão humana e a hipótese de essa dimensão se redimir através de alguma experiência transcendental.

TVCine