Cultura

Descoberto Plesiossauro com 72 milhões de anos em Angola

Espécie vivia quase exclusivamente dentro de água e poderia atingir até 15 metros de comprimento.

Os investigadores da Universidade Nova de Lisboa descobriram um fóssil de um réptil marinho, em Angola, com cerca de 72 milhões de anos.

Os trabalhos de paleontologia em Angola estavam praticamente parados desde a década de 60. Quase meio século depois, os paleontólogos voltaram a interessar-se por Bentiaba, na província do Namibe.

O Plesiossauro, considerado um réptil, vivia quase exclusivamente dentro de água e poderia atingir até 15 metros de comprimento.

O crânio e parte do corpo animal estão expostos no Museu na Lourinhã, antes de regressarem à sua origem.

Muitos dos fósseis de Angola colhidos por esta equipa de paleontólogos estão atualmente em exibição no Museu Nacional de História Natural do Smithsonian, em Washington, na exposição temporária "Sea Monsters Unearthed".

Veja também:

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia