Cultura

Sessão de Cinema: “8 Mile”

Opinião

Emimen: uma estreia cinematográfica interpretando um rapper de Detroit

Eminem interpreta um rapper num filme dirigido por Curtis Hanson: não um musical, mas sim um retrato realista de um universo de muitas tensões sociais.

Curtis Hanson (1945-2016) foi um verdadeiro artesão do cinema americano. No sentido mais clássico que tal classificação pode envolver: um realizador capaz de trabalhar nos mais diversos registos, mantendo uma qualidade em grande parte alicerçada numa sábia criação de ambientes e numa metódica direcção de actores. Na sua filmografia encontramos, por exemplo, “L.A. Confidencial” (1997), célebre variação sobre as matrizes do filme “noir”, a par de 8 Mile (2002), sobre um rapper de Detroit.

“8 Mile”, precisamente, pode ser agora visto ou revisto em streaming e o menos que se pode dizer é que, com ele, Eminem, intérprete da personagem central, mostrou também as suas potencialidades como actor — o filme integra, aliás, alguns apontamentos de natureza autobiográfica.

“8 Mile” ganhou o Oscar de melhor canção (“Lose Yourself”), mas está longe de ser um filme musical. Através da saga de um rapper que tenta encontrar espaço para as suas canções, Curtis Hanson faz o retrato realista de um universo marcado por muitos desequilíbrios sociais e por um mercado de trabalho profundamente instável.

Contracenando com Eminem surgem, entre outros, Kim Basinger, Mekhi Phifer e Brittany Murphy (que viria a falecer em 2009, contava 32 anos). Pelas suas características tão peculiares, “8 Mile” ficou como um objecto algo marginal na dinâmica de produção dos EUA, ainda que tenha sido financiado pela Universal Pictures, uma das “majors” de Hollywood. Para Eminem, como actor, foi uma estreia que, na prática, não teve continuação.

Netflix