Cultura

Curta-metragem portuguesa premiada na Roménia e Canadá

Curta-metragem portuguesa premiada na Roménia e Canadá
Michael Blann
O realizador João Gonzalez recebeu distinções em ambos os países com a curta-metragem de animação "Ice Merchants".

O cinema português foi premiado no fim de semana passado em festivais no Canadá e na Roménia, com destaque para o realizador João Gonzalez, que recebeu distinções em ambos com a curta-metragem de animação "Ice Merchants".

No Animest - Festival Internacional de Cinema de Animação de Bucareste, que terminou no domingo, Portugal era o país convidado com um extenso programa focado na mais recente produção em animação e com a presença de vários convidados, nomeadamente o programador Fernando Galrito, o produtor Abi Feijó e o realizador Pedro Serrazina.

O Troféu Animest foi atribuído ao realizador João Gonzalez, que tem acumulado prémios em grande parte dos festivais onde apresenta a curta-metragem "Ice Merchants".

Premiado em Cannes, Guadalajara e Melbourne, "Ice Merchants" é um filme sobre um pai, um filho e uma casa num precipício, numa história cheia de metáforas sobre laços familiares.

Em Bucareste, o júri atribuiu ainda uma menção especial a "O homem do lixo", 'curta' de Laura Gonçalves, enquanto "Nayola", de José Miguel Ribeiro, venceu o prémio de melhor longa-metragem de animação.

Houve ainda uma menção especial para a curta-metragem em realidade virtual para "Surfacing", uma coprodução luso-italiana de Rossella Schillaci.

No Animest, por ter tido Portugal como país convidado, esteve em destaque o estúdio de produção BAP Studio, com os realizadores Vasco Sá e David Doutel, e foram exibidos filmes como "Os demónios do meu avô", 'longa' de Nuno Beato, "Fado do homem crescido", de Pedro Brito, e "Tio Tomás, a contabilidade dos dias", de Regina Pessoa.

No Canadá, "Ice Merchants", terceira 'curta' de animação de João Gonzalez, venceu uma menção especial na secção de filmes para os mais novos no Festival de Novo Cinema de Montréal, que terminou no domingo.

Neste festival, "Super Natural", a primeira longa-metragem de Jorge Jácome, venceu o prémio "Novos Alquimistas", destinado a filmes "mais experimentais e que alargam as fronteiras do cinema", como se lê na página oficial.

Com argumento de Jorge Jácome, André e. Teodósio e José Maria Vieira Mendes, "Super Natural" é um objeto artístico protagonizado por algumas das pessoas portadoras de deficiência que fazem parte da associação Dançando com a Diferença, atuando em espaços naturais e urbanos da ilha da Madeira.

O filme, que recebeu o prémio da crítica no festival de Berlim, derivou de um projeto de um espetáculo de palco que envolvia o Teatro Praga e a associação Dançando com a Diferença, e que acabou por não se estrear em 2020, por causa da pandemia.

No 51.º Festival de Novo Cinema de Montreal foram ainda exibidos os filmes "Fogo Fátuo", de João Pedro Rodrigues, e "Alma Viva", de Cristèle Alves Meira.

Últimas Notícias