Cultura

"Não ao gás, não ao carvão": ativistas atiram tinta branca ao Teatro La Scala de Milão

"Não ao gás, não ao carvão": ativistas atiram tinta branca ao Teatro La Scala de Milão
Mourad Balti Touati

Polícia deteve cinco pessoas do grupo que atirou a tinta branca para a fachada do Teatro La Scala de Milão, no norte de Itália.

Um grupo de pessoas atirou esta quarta-feira tinta branca para a fachada do Teatro La Scala de Milão, no norte de Itália, no dia de abertura da sua temporada lírica, num ato contra o uso de combustíveis fósseis e as alterações climáticas.

Segundo os meios de comunicação italianos, a polícia deteve cinco pessoas do grupo que atirou a tinta e que empunhavam cartazes onde se lia: "Última geração, não ao gás e não ao carvão".

Os trabalhos de limpeza na fachada do teatro começaram de imediato, para que tudo esteja em ordem esta tarde, quando ocorrerá a estreia da ópera russa "Boris Godunov", a adaptação lírica que o compositor russo Modest Petrovic Musorgskij fez da obra de Alexander Pushkin.

O evento reúne sempre o que há de mais seleto na política, no mundo dos negócios e na cultura e é uma das datas mais importantes no calendário cultural de Itália.

O evento será novamente presidido pelo chefe de Estado italiano, Sergio Mattarella, acompanhado pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von Der Leyen, e pela primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni.

Em Itália houve vários ataques a obras de arte por ativistas ambientais, nomeadamente a obra "La Primavera", de Sandro Botticelli na sala da Galeria Uffizi, em Florença, no centro de Itália.

O último ataque ocorreu há algumas semanas, contra uma obra de Andy Warhol que estava numa exposição em Milão, no norte de Itália. Vários incidentes parecidos têm acontecido em outros países, como no Reino Unido, Espanha, França, entre outros.

Últimas Notícias
Mais Vistos