Desporto

Conselho de Arbitragem da FPF declara "tolerância zero" a uso de força excessiva

Regis Duvignau

O Conselho de Arbitragem (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) declarou esta quarta-feira "tolerância zero" para o "uso de força excessiva" no futebol, salientando que nestes casos "o cartão vermelho é para mostrar".

Em comunicado divulgado no final de um encontro na Cidade do Futebol, em Oeiras, que reuniu o CA e os árbitros da principal categoria (C1), a FPF registou um crescimento "significativo" do uso de "força excessiva" em jogos das competições profissionais já na presente temporada.

"Os árbitros analisaram vários lances já ocorridos esta época, com especial incidência para seis (...), detetaram as oportunidades de melhoria e receberam do CA uma indicação clara: a tolerância para este tipo de lance será nula e o cartão vermelho é para mostrar", pode ler-se.

Em declarações reproduzidas na página da FPF na Internet, o presidente do CA, José Fontelas Gomes, considerou ter chegado a altura de "alertar os árbitros", mas também "os clubes, treinadores e jogadores" para uma "tendência preocupante".

"Percebemos que tem havido um número excessivo de entradas perigosas, que colocam em causa a integridade física do adversário.

Entendemos que deve haver tolerância zero para este tipo de lances, e foi isso que passámos aos árbitros", acrescentou.

A reunião desta quarta-feira serviu ainda para analisar a utilização do vídeo-árbitro, introduzido na presente temporada, bem como o relacionamento "com os árbitros de campo".

"Os árbitros puderam ouvir as nossas indicações, trocar experiências e ver casos de estudo. Como em todas as áreas da arbitragem, procuramos a uniformidade de critérios e momentos de utilização", disse Fontelas Gomes.

No encontro, em que participou também o presidente do Conselho de Disciplina (CD), José Manuel Meirim, foram ainda analisados os "processos sumários por auto de flagrante delito", refere ainda o comunicado.

Lusa