Desporto

Fisco espanhol considera em tribunal que Cristiano Ronaldo devia ter sido preso

Juan Medina

A responsável da Unidade Central de Coordenação do Tesouro afirmou em tribunal que há contribuintes que estão detidos por com infrações fiscais menos graves do que as do futebolista português Cristiano Ronaldo.

"Temos na prisão pessoas que não pagaram 125.000 euros", afirmou Caridad Gómez Mourelo em tribunal, em 07 de dezembro.


Nas declarações, hoje divulgadas pelo jornal El Mundo, a responsável pela Unidade Central de Coordenação do Tesouro, considerou "importantíssima" para o fisco espanhol a verba de quase 15 milhões de euros que é imputada a Cristiano Ronaldo.


O internacional português do Real Madrid, que já está a ser julgado, é acusado de ter, de forma "consciente", criado empresas na Irlanda e nas Ilhas Virgens britânicas, para defraudar o fisco espanhol em 14.768.897 euros, cometendo quatro delitos contra os cofres do Estado espanhol, entre 2011 e 2014.


Na base da acusação estão os direitos de imagem do jogador português, ao serviço do Real Madrid desde 2009, e que, desde 01 de janeiro de 2010, é considerado residente fiscal em Espanha.

Com Lusa

  • Assessor de Ronaldo falou aos jornalistas que esperavam declarações do jogador
    0:29

    Desporto

    Cristiano Ronaldo foi ouvido esta manhã, num tribunal de Madrid, à porta fechada. o jogador chegou ao tribunal por volta das 10h00. Entrou por uma porta das traseiras do edifício, evitando assim o enorme aparato mediático que estava montado à porta. Ronaldo é suspeito de ter defraudado o fisco espanhol em quase 15 milhões de euros, mas tem dito sempre que está inocente. Os assessores do tribunal criaram a expectativa de que o jogador falaria no final do interrogatório, o que acabou por não acontecer. Aos mais de 200 jornalistas presentes no local, falou apenas o assessor de comunicação de Ronaldo, que confirmou que o jogador já tinha deixado o tribunal.

  • Ronaldo arrisca-se a pena de 7 anos e multa entre 30 e 90 M€
    1:54

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é suspeito de ter defraudado o fisco espanhol em quase 15 milhões de euros. Em causa estão quatro alegados crimes de fraude fiscal, cometidos entre 2011 e 2014, relativos à declaração dos direitos de imagem. O Ministério Público espanhol admite pena na ordem dos sete anos de prisão e multa, que pode variar entre os 30 e os 90 milhões de euros.

  • Agentes armados do Fisco espanhol entram no iate de Ronaldo

    Desporto

    Uma lancha da Agência Tributária espanhola abordou esta quarta-feira o iate que Cristiano Ronaldo alugou para as férias, em Ibiza. A notícia foi avançada pela revista espanhola Hola, que adianta ainda que a embarcação do jogador português foi inspecionada, enquanto Ronaldo, os filhos, a namorada e a família se encontravam a bordo.