Desporto

Verstappen não se arrepende de empurrar Ocon e diz que "poderia ter sido pior"

Geert Vanden Wijngaert

O piloto holandês de F1 Max Verstappen afirmou esta quinta-feira, em Abu Dhabi, não se arrepender do gesto que teve para com Esteban Ocon no Brasil e acrescenta que "poderia ter sido pior", em conferência de imprensa.

"Não, não estou arrependido. Fui em busca de um pedido de desculpas e recebi uma resposta completamente diferente", referiu o piloto holandês da Red Bull, antes de explicar que, na sua opinião, "para quem tinha acabado de perder uma corrida, até estava bastante calmo".

O incidente que esteve na origem da situação remonta à 45.ª volta do GP do Brasil, quando Verstappen seguia em primeiro lugar e na sequência de um toque com Ocon, que tinha uma volta de atraso e tentou ultrapassar o líder da corrida, saiu de pista e perder a liderança para o britânico Lewis Hamilton.

No fim da corrida, Verstappen confrontou o piloto francês e acabou por empurrar Ocon várias vezes enquanto lhe dirigia algumas palavras de desagrado. Estes gestos levaram a um castigo imposto ao holandês, que terá de realizar entre dois a seis meses de trabalho comunitário, algo que o piloto descreveu como um castigo "demasiado duro".

Durante a conferência de imprensa em Abu Dhabi, o jovem piloto holandês, de 22 anos, ainda perguntou de forma irónica: "O que esperavam que fizesse? Que lhe apertasse a mão e lhe agradecesse?".

Lusa