Desporto

Dores crónicas "reformam" pentacampeã olímpica Missy Franklin aos 23 anos

USA Today Sports

Houve quem vaticinasse que Missy Franklin ia dominar a natação feminina como Michael Phelps o fazia na masculina.

A cinco vezes campeã olímpica de natação Missy Franklin anunciou esta quarta-feira o fim da carreira, aos 23 anos, justificando a decisão com uma "dor crónica" no ombro que a perturba desde 2015.

"Demorei muito tempo para dizer as palavras 'estou a retirar-me'. Muito, muito tempo. Mas agora estou pronta. Estou pronta para não sentir dor todos os dias. Estou pronta para ser uma esposa, um dia uma mãe. Estou pronta para continuar a crescer a cada dia para ser a melhor pessoa e um modelo a seguir. Estou pronta para o resto da minha vida", justificou.

Em Londres 2012, Franklin, então com 17 anos, foi a primeira mulher norte-americana a conquistar quatro medalhas de ouro numa única edição de Jogos Olímpicos.

No ano seguinte, foram seis as vezes que subiu ao mais alto lugar do pódio nos mundiais de Barcelona - houve quem vaticinasse que ia dominar a natação feminina como Michael Phelps o fazia na masculina, contudo, estas foram as derradeiras medalhas de ouro da sua vida desportiva.

Depois de Barcelona, recusou a oportunidade financeira de se tornar profissional, optando por ingressar na Universidade da Califórnia-Berkley, representando a sua equipa, altura do primeiro revés na carreira, com lesão nas costas.

Após falhar o ouro em vários grandes eventos internacionais, tornou-se profissional antes do Rio2016 e regressou ao Colorado para treinar com o seu técnico de juventude, Todd Schmitz.

As altas expectativas esbarraram numa dor de ombro "intensa", que a forçou a abandonar uma competição a quatro meses do Rio2016: publicamente, manteve atitude positiva, contudo, mais tarde, revelaria que lutava contra depressão, ansiedade e insónias.

Lusa

  • A reação do presidente do Benfica no momento em que se sagra campeão
    0:35