Desporto

Federação de Futebol quer acabar com intolerância, mentira e violência na modalidade

MIGUEL A. LOPES

Numa mensagem natalícia, Fernando Gomes recordou os "desafios, conquistas, algumas derrotas, muitas vitórias e enormes emoções" de 2018.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) assumiu hoje que devem ser erradicados da modalidade "a intolerância, o facciosismo, a mentira, a discriminação e a violência".

Numa mensagem natalícia publicada no sítio oficial do organismo, Fernando Gomes recordou os "desafios, conquistas, algumas derrotas, muitas vitórias e enormes emoções" de 2018, aproveitando para "apontar caminhos, traçar metas e definir objetivos para o próximo ano".

"Temos de estar à altura das expectativas dos nossos adeptos e dos portugueses e contribuir cada vez mais para a construção de um país mais próspero, desenvolvido e unido. O futebol nacional tem de ser terreno fértil para a inclusão, a diversidade, a ética e a responsabilidade social", lê-se na mensagem do líder federativo.

Fernando Gomes defendeu a necessidade de os agentes desportivos aprenderem "a viver com a diferença, a contrariedade, o erro ou a derrota".

"É hora de praticar com coerência e consistência os princípios que tantas vezes apregoamos para os outros. É hora de erradicarmos da nossa casa a intolerância, o facciosismo, a mentira, a discriminação e a violência", rematou.

Entre as memórias assinaladas, o presidente da FPF destacou a conquista dos títulos europeus de futsal e de sub-19, a conquista da medalha de ouro da seleção de futsal feminino nos Jogos Olímpicos da Juventude e a qualificação da seleção principal para a 'final four' da Liga das Nações, a disputar no Porto e em Guimarães, em 2019.

Lusa

  • Do dia da criança ao turismo de natureza no Alentejo
    6:14
  • “Vamos a Jogo” acompanhou Luís Filipe Vieira no dia da reconquista
    15:21