Desporto

Demitiu-se o Presidente do Vitória de Guimarães

MANUEL DE ALMEIDA

Júlio Mendes não se irá recandidatar nas próximas eleições.

A direção de Júlio Mendes demitiu-se esta segunda-feira em bloco do Vitória de Guimarães. As eleições só podem realizar-se daqui a um mês e meio, altura até à qual a direção se mantém em funções.

À SIC, fonte do clube, garantiu que Júlio Mendes não se irá recandidatar às próximas eleições do clube.

Júlio Mendes ocupava o cargo de Presidente do clube desde a época 2011/2012. Faltavam dois anos para terminar o atual mandato.

"Anuncio a renúncia aos cargos que exercemos no Vitória Sport Clube. Vamos assegurar a gestão do clube e a preparação da próxima época desportiva até à realização das próximas eleições. Afastar-nos-emos logo de seguida", frisou, numa conferência de imprensa no complexo desportivo do clube.

O Vitória de Guimarães terminou o campeonato em quinto lugar, a 15 pontos do rival SC Braga. Foi também eliminado da Taça de Portugal nos quartos-de-final pelo Benfica. Os maus resultados da época geraram contestação interna, que acabaram na demissão em bloco da direção do clube vimaranense.

O percurso de Júlio Mendes no Vitória de Guimarães

Depois de ter sido vice-presidente do clube entre 2010 e 2011, num elenco liderado por Emílio Macedo da Silva, Júlio Mendes assumiu a presidência do Vitória em 31 de março de 2012, numas eleições em que bateu Pinto Brasil.

O dirigente foi reeleito em 2015, numas eleições sem concorrência, e, em 2018, no ato eleitoral mais concorrido da história do clube, em que derrotou Júlio Vieira de Castro, com 52% dos votos.

Júlio Mendes argumentou que a contestação incentivada pela 'oposição' à sua liderança desde as últimas eleições até ao jogo em que o Vitória garantiu o quinto lugar na I Liga da época 2018/19, com um triunfo sobre o Moreirense (3-1), em 19 de maio, o levou a tomar a decisão de sair.

Com Lusa