Desporto

Proteção Civil aconselha adeptos a evitarem fogueiras durante Rali de Portugal

MIGUEL PEREIRA DA SILVA / LUSA

Governo declarou situação de alerta para os próximos dias devido ao risco de incêndio.

O Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS) do Porto aconselhou esta quinta-feira os adeptos que se desloquem aos troços do Rali de Portugal a evitarem fazer fogueiras durante o fim de semana devido ao elevado risco de incêndio.

Em declarações à agência Lusa no quartel-general da prova, instalado na Exponor, em Matosinhos, o comandante Carlos Alves pediu "cuidados redobrados" aos amantes da prova, "pois o comportamento dos cidadãos é que dita o sucesso do rali".

Estas declarações surgem na sequência do alerta emitido esta tarde pelo Ministério da Administração Interna, em conjunto com o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Em comunicado, aqueles dois ministérios anunciaram que "face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio florestal no território do Continente, o Ministro da Administração Interna e o Ministro da Agricultura assinaram hoje o Despacho que determina a Declaração da Situação de Alerta no período compreendido entre as 23:59 horas do dia 30 de maio e as 23:59 horas do dia 3 de junho de 2019, para o território continental".

Desta forma, as medidas de caráter excecional no âmbito da Situação de Alerta passam, entre outras, pela "elevação do "grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP, com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas", a "proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração" ou "a emissão de aviso à população pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil sobre o perigo de incêndio rural".

No entanto, Carlos Alves, responsável pela coordenação do dispositivo de segurança do Rali de Portugal, garante que a subida do nível de alerta "não interfere com os meios de combate aos incêndios".

"Os meios alocados a esta prova são independentes do dispositivo de combate aos incêndios", pelo que, "os dois são completamente independentes um do outro", referiu.

Ao todo, ao longo do fim de semana desta sétima prova do Mundial de Ralis, o dispositivo de segurança previsto integra 410 operacionais diários e 124 veículos, "com tendência para aumentar", revelou o CODIS do Porto.O Rali de Portugal é a sétima prova do Campeonato do Mundo e realiza-se entre esta quinta-feira e domingo.

Lusa