Desporto

Liga espanhola espiava adeptos através de aplicação

O presidente da La Liga, Javier Tebas

Paul Hanna

Abuso de privacidade vale multa pesada ao organismo.

Através de uma aplicação de telemóvel, que tinha o objetivo principal de disponibilizar informação acerca dos resultados dos jogos e das equipas das duas primeiras divisões de futebol espanhol, a La Liga fazia uso do microfone dos telemóveis dos adeptos para descobrir os estabelecimentos que transmitiam os jogos em canais "piratas".

O processo era simples: os adeptos ao instalarem a aplicação nos seus telemóveis permitiam, através de um simples clique, que esta acedesse ao microfone e à localização.

Com estes dois mecanismo garantidos era possível identificar o local onde se encontrava o adepto e detetar o som da transmissão de um jogo de futebol (tal como existem outras aplicações que permitem descobrir a música que estamos a ouvir).

A La Liga, que multou cerca de 600 estabelecimentos por piratear a transmissão dos jogos, sofreu agora uma sanção de 250 mil euros, por parte da Agência Espanhola de Proteção de Dados (AEPD), por "não informar convenientemente, na aplicação oficial, sobre a funcionalidade do uso do microfone no momento da ativação", como avança o site do jornal El País.

O mesmo jornal indica que a entidade futebolística irá recorrer da multa que lhe foi aplicada, justificando que os "adeptos têm consentimento" no momento em que autorizam a utilização do microfone, e desse modo a Liga espanhola não pode ser acusada de "falta de transparência.

  • Saiba quais são os medicamentos que contêm ranitidina
    0:53