Desporto

"Eu não vou à m**** da Casa Branca"

TOLGA BOZOGLU

As declarações da capitã da seleção de futebol dos EUA levaram Donald Trump a reagir no Twitter.

Uma das capitãs da seleção norte-americana de futebol não está a planear ir à Casa Branca caso a equipa vença o Campeonato do Mundo de Futebol Feminino, que está a decorrer em França.

Numa entrevista citada pela CNN, Megan Rapinoe foi questionada sobre se estava entusiasmada em ir à Casa Branca se vencesse o mundial. "Psssh, eu não vou à m**** da Casa Branca", respondeu a atleta de 33 anos mesmo antes do jornalista terminar a questão.

"Não. Eu não vou à Casa Branca. Nós não vamos ser convidadas. Duvido."

Uma parte da entrevista, feita pela revista desportiva Eight by Eight, fui publicada esta terça-feira nas redes sociais.

A reação de Donald Trump não demorou a chegar

E foi através do Twitter que o Presidente norte-americano decidiu reagir à recusa de Megan Rapinoe. Donald Trump relembrou as equipas que "amam" ir à Casa Branca.

Esta é uma tradição nos Estados Unidos da América quando as equipas vencem campeonatos nacionais ou internacionais.

"Sou um grande fã da equipa americana e de futebol feminino, mas a Megan deveria GANHAR primeiro antes de FALAR! Acaba o trabalho!"

Perante a situação, aproveitou para fazer um convite oficial à equipa para comparecerem na Casa Branca, mesmo que acabem por perder o mundial. O Presidente terminou a corrente de tweets, dizendo que a atleta "nunca deveria desrespeitar" os Estados Unidos, a Casa Branca e a bandeira, "especialmente se foi feito tanto por ela e pela equipa".

"Orgulha-te da bandeira que vestes."

Esta pode ser uma referência ao facto de Megan Rapinoe ter sido uma das primeiras atletas brancas a ajoelhar-se durante o hino nacional, em solidariedade a Colin Kaepernick.

John Bazemore

Outras equipas recusaram-se a ir à Casa Branca

Em maio, vários atletas dos Boston Red Sox e o treinador recusaram o convite de Donald Trump para ir à sua residência oficial.

No ano passado, o Presidente norte-americano cancelou a visita dos campeões da NBA, depois das duas equipas finalistas, os Golden State Warriors e os Cleveland Cavaliers, garantiram que qualquer que fosse o campeão, não iam querer ser recebidos por Donald Trump.

Em 2017, o Presidente já tinha retirado o convite endereçado aos Golden State Warriors, depois dos basquetebolistas se recusarem a ir.