Desporto

Miguel Oliveira em último no GP da Alemanha dominado pelo espanhol Marc Márquez

Miguel Oliveira, que não pontuou pela quarta vez esta temporada, mantém os 15 pontos e é 18.º no campeonato.

Miguel Oliveira (KTM) lamentou este domingo ter cometido "um erro" que originou a primeira queda da temporada em MotoGP no GP da Alemanha, ganho pelo espanhol Marc Márquez (Honda) pela 10.ª vez consecutiva.

O piloto português saiu da 20.ª posição, mas já era 15.º à segunda volta, quando, na curva 3 do circuito alemão de Sachsenring, a frente da sua RC 16 escorregou e atirou com o piloto ao chão.

"Foi uma corrida com um final um pouco inglório, depois de ter feito um bom arranque e ter recuperado umas cinco posições, cometi um erro na curva 3. A frente simplesmente fugiu. Tive a sorte de a mota ter continuado a trabalhar. Continuei a corrida com alguns danos na mota, sobretudo na asa dianteira do lado direito", começou por explicar o almadense.

Apesar do enorme atraso e de ter ficado no último lugar, a 45 segundos do penúltimo, o piloto português mostrou um ritmo elevado, chegando a rodar consistentemente entre os 10 mais rápidos da prova, sendo mesmo o quinto mais rápido a meio das 30 voltas previstas para esta nona prova da temporada.

"Foi difícil andar assim, com a mota muito instável. Nunca consegui andar a direito na reta nem travar com a mota equilibrada. O importante foi ter continuado a corrida, porque demonstrei um bom ritmo e potencial para ter terminado no top 10", vincou Oliveira, que terminou o dia com o melhor tempo entre as KTM, com 1.22,149 minutos.

Miguel Oliveira acabaria por cortar a meta na 18.ª posição, a 57,377 segundos de Márquez, que dominou de início a fim, sobretudo depois da queda do espanhol Alex Rins (Suzuki) na volta 19, o único que ainda ameaçava a liderança do campeão.

Assim, o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) foi o segundo classificado, a 4,587 segundos, com o britânico Cal Crutchlow (Honda) em terceiro, a 7,741 segundos do vencedor.

O espanhol da Honda tem, agora, 185 pontos, alargando a vantagem no campeonato para o segundo classificado, o italiano Andrea Dovizioso (Ducati), que foi apenas quinto classificado, atrás do compatriota Danilo Petrucci (Ducati). Dovizioso soma 127 pontos.

Miguel Oliveira, que não pontuou pela quarta vez esta temporada, mantém os 15 pontos e é 18.º no campeonato.

O Mundial de MotoGP cumpre agora uma pausa, regressando com o GP da República Checa, em Brno, em 04 de agosto.

"Estou otimista para o que se segue. Temos a paragem de verão para voltar a carregar energias. Vamos voltar mais fortes em Brno e mais perto do que é o nosso objetivo", concluiu o português, elogiado pelo francês Hervé Poncharal, patrão da equipa Tech3 da KTM, apesar do mau resultado.

"Quero dizer apenas bom trabalho, Miguel, e obrigado por teres continuado em pista e a forçar o ritmo, pois isso é, seguramente, algo que te vai tornar melhor piloto de MotoGP", disse o patrão do português.

Em Moto2, a vitória sorriu ao espanhol Alex Márquez (Kalex), irmão do campeão de MotoGP, que lidera o campeonato, com 136 pontos, enquanto, na Moto3, ganhou o italiano Lorenzo Dalla Porta (Leopard), que ascendeu à liderança da categoria, com 125 pontos.

O GP da Alemanha entrou para a história por se ter realizado, pela primeira vez, uma prova do Mundial para motos elétricas. O finlandês Niki Tuuli (Ajo) foi o primeiro vencedor.

Lusa