Desporto

João Rodrigues vence a quarta etapa da Volta a Portugal

NUNO VEIGA

Na segunda-feira realiza-se a quinta etapa da 81.ª edição da Volta a Portugal, entre Oliveira do Hospital e Guarda

João Rodrigues (W52-FC Porto) venceu hoje no alto da Torre, na Serra da Estrela, e conquistou a quarta etapa da Volta a Portugal em bicicleta, à frente do camisola amarela, o colega de equipa espanhol Gustavo Veloso.


Na terceira vitória em cinco possíveis para os 'dragões', que tiveram sempre a camisola amarela, João Rodrigues fechou os 145 quilómetros entre Pampilhosa da Serra e Torre em 4:20.36 horas, um segundo a menos do que Veloso, segundo colocado, e cinco relativamente a Jóni Brandão (Efapel), terceiro.


Aos 24 anos, o português, que este ano venceu a Volta ao Alentejo, conquistou "a melhor vitória da carreira", como admitiu no final, e mostrou-se ao pelotão e à própria equipa, assumindo-se como o 'plano B', atrás do atual camisola amarela.


Veloso, que não estava selecionado para participar na prova, mas foi chamado para o lugar do compatriota Raúl Alarcón, vencedor das últimas edições, mostrou hoje que está em melhores condições do que o próprio admitia e deu mais um passo para tentar um terceiro triunfo, após os êxitos de 2014 e 2015.


"Os rivais sabem que sou mais pesado nas subidas, fizeram muitos arranques e sofri muito na montanha. No final, dei 200% e ainda ganhei uns segundos à concorrência. Foi muito bom. (...) O João Rodrigues está fortíssimo e, se eu falhar, ele pode colher a responsabilidade [da geral] ", atirou, no final da etapa, o veterano ciclista, de 39 anos.


João Rodrigues explicou que a equipa não quer "dar espetáculo", mas antes "ganhar a geral", independentemente de quem o fizer, e admitiu que ainda não acreditava que tinha conseguido o triunfo hoje.


"Ainda não caí em mim. Foi espetacular sentir este calor humano na chegada. (...) Já sonhei bastante em vencer, mas até se realizar era uma diferença grande. Esta e a Senhora da Graça [nona etapa] adaptam-se às minhas características", referiu.


Num final atribulado, tanto a Efapel como os 'azuis e brancos' começaram a selecionar o pelotão, num momento em que a fuga, que integrou o antigo campeão português Domingos Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA), estava a ser apanhada.


Já com um grupo de favoritos definido, Luís Mendonça (Aviludo-Louletano) e David Rodrigues (Rádio Popular-Boavista) tentaram ataques, mas o 'espetáculo' estava atrás, onde o FC Porto controlava a corrida, perante Jóni Brandão, com Henrique Casimiro do seu lado, Frederico Figueiredo (Sporting-Tavira), isolado, João Benta (Rádio Popular-Boavista) e o espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano).


Com vários 'arranques' ao longo da subida de quase 20 quilómetros, a única de categoria especial da 81.ª edição, Veloso, que tem como 'trunfo' o contrarrelógio da 10.ª e última etapa, especialidade em que leva vantagem para os adversários, resistiu e a janela de oportunidade para os rivais ganharem tempo aos 'dragões', que acabaram com quatro nomes no 'top 10' da geral, encurtava-se.


Já dentro do último quilómetro, uma queda afastou outro corredor da W52-FC Porto, Edgar Pinto, enquanto o colega de equipa João Rodrigues atacava para uma vitória, seguido de Veloso, a ganhar tempo a quase todos os rivais.


Na geral, o espanhol lidera, com 13 segundos de vantagem sobre Rodrigues, enquanto García de Mateos fecha o pódio, a 20 segundos, com Jóni Brandão mais longe, caindo para quarto, a 27.


Na segunda-feira realiza-se a quinta etapa da 81.ª edição da Volta a Portugal, entre Oliveira do Hospital e Guarda, na extensão de 158 quilómetros, com três metas volantes e duas contagens de montanha, em Canas de Senhorim (terceira categoria) e Guarda (segunda).

Lusa