Desporto

Jogadores fazem serenata à janela do hospital onde o treinador faz quimioterapia

FILIPPO VENEZIA

Treinador que passou pelo Sporting revelou no verão que tinha leucemia.

O treinador do Bolonha Sinisa Mihajlovic foi surpreendido, este domingo, no hospital onde estava a ser submetido a quimioterapia, quando a equipa apareceu para fazer uma serenata à sua janela.

O momento foi captado e divulgado nas redes sociais. Os vários vídeos mostram os jogadores do Bolonha a dirigirem-se para o Hospital Sant'Orsola, antes de começarem a cantar e a gritar pelo nome do treinador, junto a uma das janelas do edifício.

Num dos vídeos, é possível ver Sinisa Mihajlovic à janela a ouvir a serenata dos jogadores e a acenar.

O técnico revelou no verão que sofria de leucemia, mas na altura garantiu que ia continuar a trabalhar ao serviço do clube da Liga italiana de futebol.

"Quando me informaram, foi um choque enorme. Passei dois dias a chorar no meu quarto, mas não foram lágrimas de medo, porque sei que vou vencer a doença. É recuperável e vou vencer", afirmou o técnico, de 50 anos, em conferência de imprensa.

Segundo o Daily Mail, o treinador sérvio começou a segunda fase do tratamento de quimioterapia e só consegue comunicar com a equipa através do telefone. No dia da serenata, o Bolonha venceu o Brescia por 4-3. Mas antes de tudo isto, sabe-se que o treinador deu um discurso motivacional à equipa, durante o intervalo da partida, quando estavam a perder por 3-1.

O diretor desportivo do conjunto que disputa a Serie A, Walter Sabatini, assegurou que o sérvio vai cumprir o contrato assinado com o Bolonha em janeiro, quando substituiu Filippo Inzaghi no comando técnico dos rossoblu.

"Estaremos a seu lado e ele vai continuar no banco. Vai ultrapassar esta doença", afirmou Sabatini.

Sinisa Mihajlovic, que orientou Catania, Fiorentina, Sampdoria, AC Milan e Torino, além da seleção da Sérvia, teve uma passagem fugaz pelo Sporting, no início da temporada passada, não chegando sequer a comandar os 'leões' em qualquer jogo.

  • Uma “má vizinhança” que durou 20 anos e um homicida que se diz inocente
    22:23