Desporto

"Não existiu nenhuma violação pela minha parte a normas antidopagem", garante Raúl Alarcón

NUNO VEIGA

Bicampeão da Volta a Portugal rejeita suspeitas de doping.

O espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto), suspenso preventivamente pela União Ciclista Internacional (UCI), disse hoje não ter cometido qualquer infração ao regulamento antidoping e que tem provas que confirmam a sua inocência.


Numa publicação na rede social Facebook, o vencedor da Volta a Portugal em bicicleta em 2017 e 2018 assumiu ter sido notificado da suspensão provisória, mas garantiu estar inocente.

"Tenho em meu poder pareceres médicos absolutamente concludentes no sentido de que não existiu nenhuma violação pela minha parte a normas antidopagem. Vou, por isso, tentar, com todas as minhas forças, demonstrar no processo que me é levantado que estou inocente e que não pratiquei qualquer infração", afirmou.


De acordo com a lista de ciclistas suspensos provisoriamente pela UCI, publicada na segunda-feira, Alarcón, de 33 anos, está acusado de "uso de métodos proibidos e/ou substâncias proibidas".


Uma queda no Grande Prémio Abimota, em junho, impediu que Alarcón defendesse o triunfo na Volta a Portugal, que acabou por ser vencida pelo seu companheiro de equipa João Rodrigues.

Lusa

  • Projeto Tejo divide agricultores e ambientalistas
    13:30
  • Reis de Espanha em visita polémica a Havana
    1:24

    Mundo

    Na justificação oficial, esta visita destina-se a estreitar os laços económicos e financeiros entre os dois países. Uma viagem polémica, tanto para espanhóis como para cubanos.