Desporto

“Speedy” Gonçalves: o piloto que deixou a marca do fair play

Recorde o percurso de Paulo Gonçalves.

Conhecido por “Speedy” Gonçalves, de forma carinhosa, o piloto minhoto deixou a marca do fair play no desporto, para além das qualidades profissionais que fazem com que seja considerado um dos melhores motociclistas de sempre em Portugal.

Despediu-se do rally e da vida no quilómetro 276

O piloto português de 40 anos morreu este domingo na sétima etapa do rali Dakar na Arábia Saudita na sequência de uma queda seguida de paragem cardiorrespiratória. Após uma tentativa de reanimação, foi levado de helicóptero para o hospital onde foi declarado o óbito.

Gonçalves, que ficou em segundo em 2015 e disputava o seu 13º rali Dakar, caiu ao quilómetro 276 da especial, cerca das 10:00 (07:00 em Lisboa).

Presidente da República lamenta a perda

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa lamenta a morte do motociclista Paulo Gonçalves na sequência de um acidente no Rally Dakar e apresenta à família enlutada as mais sentidas condolências.

Paulo Gonçalves morreu a tentar alcançar o sonho de vencer uma das mais duras e perigosas provas de rally do mundo, na qual foi sempre um digníssimo representante de Portugal, chegando a alcançar o segundo o lugar em 2015.

Primeiro-ministro lembra “ética, altruísmo e sã competição”

"Lamento profundamente a morte do motociclista Paulo Gonçalves no Dakar 2020. Um atleta de exceção, Paulo Gonçalves será lembrado como um exemplo de ética, altruísmo e sã competição. Foi Prémio Nacional de Ética no Desporto de 2016. As mais sentidas condolências à sua família."

Governo fala em motard "altruísta e ético"

"O percurso do motociclista português na alta competição ficou marcado por colocar sempre na frente da sua ação os valores da ajuda, do companheirismo e da sã competição", refere a nota conjunta do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

Nesse mesmo comunicado, é lembrado o gesto do piloto português no Dakar de 2016, quando parou para ajudar o austríaco Matthias Walkner (KTM), ao lado de quem permaneceu após uma queda deste e fratura de uma perna.

"Essa atitude no Dakar 2016, entre outras que foi tendo ao longo do seu percurso desportivo, levou a que o IPDJ atribuísse ao motociclista o Prémio Nacional de Ética no Desporto de 2016. A própria Federação Internacional de Motociclismo atribuiu idêntica distinção", lembrou o Governo.

Oitava etapa do Dakar cancelada para as motas

A organização do Rali Dakar de todo-o-terreno decidiu cancelar a oitava de 12 etapas para motas e quads, prevista para segunda-feira.

A decisão foi tomada "em conjunto com equipas e pilotos" e surge devido à "consternação" que afetou "sobretudo os pilotos das motas", pois o português "era uma figura querida da prova, imensamente respeitado tanto pelos veteranos como pelos menos experientes pilotos que o admiravam e se sentiam inspirados por ele", escreveu a organização, em comunicado.

A anulação da etapa, com partida e chegada em Wadi Al Dawasir, surge "para dar tempo aos pilotos de fazerem o luto" pela morte do piloto português.