Desporto

Benfica está em "total discordância" com a CMVM 

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) indeferiu esta sexta-feira o pedido de registo da Oferta Pública de Aquisição (OPA) voluntária e parcial de até 6.455.434 ações emitidas pela SAD do clube da Luz.

Benfica está em "total discordância" com a CMVM. O Benfica admite que foi "notificado" pela CMVM que inferiu a Oferta Pública de Aquisição anunciada pela Benfica, SAD em novembro de 2019, classificando-a de ilegal.

Num texto publicado no site do clube, os dirigentes do clube garantem que agiram "sempre em conformidade com a lei" e que, por isso, "manifestam a sua total discordância com a decisão tomada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários".

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) indeferiu esta sexta-feira o pedido de registo da Oferta Pública de Aquisição (OPA) voluntária e parcial de até 6.455.434 ações emitidas pela SAD do clube da Luz.

"A decisão de indeferimento, fundamentada na existência de um vício que afeta a legalidade da oferta, decorrente da estrutura de financiamento da contrapartida, extingue o procedimento iniciado com o pedido apresentado a esta comissão em 22 de novembro de 2019", justifica o regulador do mercado, através de comunicado.

Em março, a CMVM suspendeu a venda das ações da SAD do Benfica, aguardando a divulgação de informação relevante ao mercado por parte do clube da I Liga de futebol.

Leia aqui o comunicado na íntegra:

"A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários notificou hoje a Sport Lisboa e Benfica, SGPS, S.A. do indeferimento do pedido de registo de oferta pública voluntária e parcial de aquisição de até 6.455.434 ações emitidas pela Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD, anunciada preliminarmente em 18 de novembro de 2019.

A Sport Lisboa e Benfica, SGPS, S.A. manifesta a sua total discordância com a decisão tomada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e reitera a plena conformidade dos atos praticados com a lei, tal como confirmado pelos seus assessores jurídicos e por parecer jurídico emitido por um dos mais reputados professores de direito e demonstrado oportuna e detalhadamente à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

A Sport Lisboa e Benfica, SGPS, S.A. manifesta ainda a sua surpresa e discordância com a circunstância de a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários não se ter pronunciado, nos termos que eram legalmente aplicáveis, sobre o pedido para autorização da revogação da oferta, que foi apresentado com base em factos públicos, notórios e indesmentíveis e que deveria logicamente ter precedido qualquer decisão sobre o registo da oferta.

A Sport Lisboa e Benfica, SGPS, S.A. reitera que sempre pautou a sua atuação, no âmbito deste procedimento como em geral na sua atividade, e na sua relação com as demais entidades do Grupo SLB, de acordo com os mais escrupulosos critérios de integridade e legalidade. Atuou sempre também com transparência junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários em todo este procedimento, não podendo deixar de lamentar um desfecho que, no seu firme entendimento e convicção, não foi o legalmente devido."

  • 14:18
  • 2:34