Desporto

Federação Portuguesa de Futebol suspende Supertaça Cândido de Oliveira

STOCKSNAP

Suspensão da Supertaça para "aliviar o calendário" das equipas que terão jogos europeus em setembro.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou esta quarta-feira a suspensão da Supertaça Cândido de Oliveira, que deveria abrir a temporada de 2020/21, para "aliviar o calendário" das equipas que terão jogos europeus em setembro.

Em comunicado, a FPF dá conta de um entendimento entre FC Porto e Benfica, finalistas da Taça de Portugal e, respetivamente, primeiro e segundo classificados da I Liga portuguesa, que disputariam o troféu no arranque da próxima época.

"FPF e os clubes chegaram a um entendimento e acordaram a suspensão do jogo em nome dos interesses do futebol português, uma vez que em setembro haverá jogos referentes às competições europeias", pode ler-se no comunicado.

Efeitos da pandemia na atual época

Os adiamentos do arranque da Liga dos Campeões e da Liga Europa da próxima temporada devem-se aos efeitos da pandemia de covid-19 na atual época, suspensa por vários meses, terminando em agosto com finais a oito, da Champions em Lisboa e da Liga Europa na Alemanha.

"Aliviar o calendário das equipas portuguesas nessa fase da época é um dos objetivos da decisão tomada em defesa da posição de Portugal no ranking da UEFA", acrescenta.

Supertaça Cândido de Oliveira é disputada entre o vencedor do campeonato e o vencedor da Taça de Portugal

Os encarnados são os atuais detentores do troféu, depois de vencerem por 5-0 o Sporting em 04 de agosto de 2019, no que foi a 41.ª edição do troféu, que habitualmente 'abre' a temporada futebolística em Portugal.

Instituída em 1979 e 'apadrinhada' pela FPF em 1981, a Supertaça Cândido de Oliveira é disputada entre o vencedor do campeonato e o vencedor da Taça de Portugal, ou, se um clube fizer a 'dobradinha', entre esse campeão e o finalista da Taça.

Os dragões são os recordistas de vitórias, com 21, contra oito triunfos de Benfica e Sporting, enquanto o Boavista conquistou três edições e o Vitória de Guimarães uma, para completar o palmarés de vencedores.

A decisão foi anunciada pela FPF, que também comunicou a passagem da final da Taça de Portugal para o Estádio Cidade de Coimbra, no dia 1 de agosto, depois de ter sido adiada devido à pandemia, no que será o primeiro ano desde 1982/83 que a final da Taça não decorre no Estádio Nacional.