Desporto

Roland Garros vai ter público, mas será limitado a 60% da capacidade

Charles Platiau

Bilhetes serão colocados à venda a 16 de julho.

A edição de 2020 de Roland Garros, reprogramada para 27 de setembro a 11 de outubro devido à pandemia Covid-19, vai receber de 50 a 60% da sua lotação habitual, anunciou esta quinta-feira a Federação Francesa de Ténis (FFT).

"O número de espetadores admitidos no estádio será de entre os 50 e os 60% da capacidade habitual", indicou a FFT, assinalando que essa redução vai possibilitar que se respeitem as medidas de segurança sanitárias para evitar a propagação do novo coronavírus.

Os bilhetes, que serão colocados à venda em 16 de julho para o público em geral, vão permitir que 20.000 pessoas se desloquem a Roland Garros para assistir as primeiras rondas. O número de espetadores será limitado aos 10.000 para as finais.

Nadal só estará em Roland Garros com "condições ótimas de segurança"

Rafael Nadal só defenderá o título em Roland Garros se o Grand Slam parisiense proporcionar "condições ótimas de segurança" sanitária, afirmou o tenista espanhol numa entrevista ao canal France TV Sport.

"Se pudermos jogar em condições ótimas de segurança, se toda a gente puder participar, se estiveram reunidas essas condições, sim, estarei lá, contudo, neste momento, há que tomar precauções e ser responsável com as decisões adequadas para proteger a segurança e a saúde de todos no ténis", sustentou.

Questionado sobre o futuro do torneio, que deveria estar a decorrer, mas foi adiado para setembro devido à pandemia da covid-19, o recordista (tem 12 vitórias) e detentor do título em Roland Garros alegou não pensar do ponto de vista tenístico, mas sim do "médico".