Desporto

Maratonista Wilson Kipsang suspenso por falsificar controlos antidoping

HAYOUNG JEON

A suspensão de Kipsang constitui mais um duro golpe para o atletismo queniano, que tem sido atormentado por vários incidentes relacionados com o doping.

O maratonista queniano Wilson Kipsang, ex-recordista mundial e medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Londres 2012, foi suspenso por quatro anos por "falsificação" e "falha de localização" aos controlos antidoping, anunciou esta sexta-feira a Unidade de Integridade de Atletismo (AIU).

Wilson Kipsang, de 38 anos, além do terceiro lugar em Londres 2012, conta no seu vasto palmarés com os triunfos nas maratonas de Londres (2012 e 2014), Nova Iorque (2014) e Berlim (2013). O queniano quebrou ainda o recorde mundial da maratona em 2013, ao percorrer os 42,195 km em 2:03.23 horas.

Culpado de "fornecer evidências e testemunhos falsos"

A suspensão de Kipsang, que foi considerado culpado pela AIU de "fornecer evidências e testemunhos falsos", constitui mais um duro golpe para o atletismo queniano, que tem sido atormentado por vários incidentes relacionados com o doping.

Em 2017, a queniana Jemima Sumgong, campeã olímpica da maratona no Rio 2016, e no ano seguinte o seu compatriota Asbel Kiprop, campeão olímpico nos 1.500 metros em Pequim2008 e tricampeão mundial na distância, foram apanhados pelo doping.

Abraham Kiptum, ex-recordista mundial da meia-maratona, foi suspenso por quatro anos em novembro de 2019 por irregularidades no seu passaporte biológico, e Daniel Wanjiru, vencedor da Maratona de Londres em 2017, foi temporariamente suspenso em abril pelo mesmo motivo.