Desporto

Lateral direito Gilberto chegou a Lisboa para reforçar o Benfica

O atleta custou três milhões de euros ao clube da Luz.

Depois de Pedrinho, chegou Gilberto a Lisboa. O lateral direito brasileiro vai assinar pelo Benfica por cinco épocas e custou três milhões de euros ao clube da Luz.

À chegada, Gilberto não prestou quaisquer declarações.

Benfica volta ao trabalho no sábado

Uma semana depois de fechar a época futebolística 2019/20, o Benfica arranca, no sábado, para 2020/21 com o regressado treinador Jorge Jesus ao comando e múltiplas interrogações em relação à constituição do plantel.

Com é hábito em cada defeso, são inúmeros os nomes de reforços apontados à Luz. Um dos nomes mais ansiado é outro, o do avançado uruguaio Edinson Cavani, de 33 anos, que passou as últimas sete temporadas no Paris Saint-Germain, para se tornar o melhor marcador da história do clube, à frente de Ibrahimovic e Pauleta, com 200 golos.

De resto, as últimas notícias indicam a possível chegada do extremo Everton 'Cebolinha', de 24, do Grêmio, que poderá ser novidade nos exames médicos de sábado, nos testes físicos de domingo e no treino inaugural de segunda-feira.

Entre os inúmeros nomes falados surgem também Rúben Semedo, do Olympiacos, os alemães Robin Koch e Waldschmidt, do Friburgo, o uruguaio Cabrera, do Espanyol, os brasileiros Gerson e Bruno Henrique, do Flamengo, ou marcantes ex-jogadores do clube, como os argentinos Garay, do Valência, ou Di Maria, do PSG.

Dos jogadores do plantel que ganhou a Supertaça, foi segundo na I Liga, perdeu a final da Taça de Portugal e caiu na fase de grupos da Taça da Liga e nos 16 avos da Liga Europa, após o terceiro lugar no seu grupo da 'Champions', ainda não há também qualquer notícia sobre permanências ou saídas.

O núcleo duro deve, porém, continuar na Luz, do guarda-redes Vlachodimos ao ponta de lança Vinícius, melhor marcador da edição 2019/20 da I Liga, passando pelos defesas André Almeida, Rúben Dias e Grimaldo e os médios Gabriel, Weigl, Pizzi e Rafa.

Com o mercado aberto até 5 de outubro, muita 'tinta' correrá ainda em relação a planteis definitivos para a primeira metade da época 2020/21, sendo que, no Benfica, há já uma grande novidade, no banco, com o regresso de Jorge Jesus.

Apresentado na segunda-feira, o técnico, que veio para "unir a nação benfiquista", já deu o mote, prometendo uma "grande equipa", a jogar o "triplo" do passado, de forma não só a "ganhar" como a "arrasar".

Na primeira passagem pelo Benfica, de seis anos, entre 2009/10 e 2014/15, Jesus, de 66 anos, conquistou 10 troféus, nomeadamente três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga.

O técnico vice-campeão mundial em título, pelo Flamengo, orientou a formação 'encarnada' num total de 321 jogos oficiais, nos quais somou 225 vitórias, 51 empates e 45 derrotas, com 674 golos marcados e 249 sofridos.

O 322.º embate realiza-se em 15 ou 16 de setembro, na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, que é disputada num só jogo e tem sorteio marcado para 31 de agosto. Se seguir em frente, o Benfica joga o 'play-off', em 22 ou 23 e 29 ou 30.

Em 2011/12, o Benfica, de Jesus, também teve de ultrapassar duas pré-eliminatórias para chegar à fase de grupos, afastando então os turcos do Trabzonspor (2-0 em casa e 1-1 fora) e os holandeses do Twente (2-2 em Enschede e 3-1 na Luz).