Desporto

Portugal-Espanha. Pepe está a um jogo de ultrapassar Fernando Couto e fazer história

Valentyn Ogirenko

Pepe pode tornar-se o defesa mais internacional de sempre da seleção portuguesa de futebol.

O central Pepe pode na quarta-feira tornar-se o defesa mais internacional de sempre da seleção portuguesa de futebol, caso atue frente à Espanha, num particular que vai decorrer no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Se for opção do selecionador Fernando Santos, o jogador de 37 anos chega às 111 internacionalizações 'AA' e ultrapassa as 110 de Fernando Couto, passando a ser o defesa que mais vezes vestiu a camisola da seleção de Portugal em toda a sua história.

Além desse 'título', Pepe isola-se no quinto lugar dos mais internacionais da história da seleção nacional, ficando apenas atrás de Cristiano Ronaldo (165), Luís Figo (127 e já retirado), João Moutinho (123) e Nani (112).

Nascido em Maceió, no Brasil, Kléper Laveran Lima Ferreira, mais conhecido como Pepe, chegou a Portugal, mais precisamente à Madeira, com apenas 18 anos para representar o Marítimo e deu nas vistas, já que três anos depois foi contratado pelo FC Porto.

Com 25 anos, e sob a 'alçada' de Luiz Felipe Scolari, Pepe estreou-se na sua 'casa', no Estádio do Dragão, em novembro de 2007, num 'nulo' perante a Finlândia, que na altura valeu a qualificação de Portugal para a fase final do Euro2008.

Foi apenas a primeira grande competição em que o defesa participou com a seleção nacional, seguindo-se o Mundial2010, na África do Sul, o Euro2012, na Polónia e Ucrânia, o Mundial2014, no Brasil, o Euro2016, em França, que acabou com Portugal campeão, e o Mundial2018, na Rússia.

Pepe foi mesmo nomeado o melhor em campo na final do Europeu de França, naquele que é até hoje o jogo mais importante da história da seleção nacional.

'Patrão' da defesa lusa há mais de uma década, Pepe tornou-se em setembro de 2018 apenas o sexto jogador na história a alcançar as 100 internacionalizações 'AA' com Portugal, e o primeiro naturalizado, num particular no Algarve com a Croácia (1-1), em que o central fez o tento luso.

A nível de clubes, o defesa passou quase uma década no Real Madrid tendo depois representado o Besiktas durante duas temporadas, antes de regressar ao FC Porto.