Desporto

SAD do Benfica manifesta disponibilidade para cooperar com autoridades

Rafael Marchante

Fontes do Benfica já tinham confirmado terem sido alvo de buscas, no âmbito de uma investigação relacionada com negócios no futebol.

A SAD do Benfica confirmou as buscas às instalações, mostrando-se totalmente disponível para colaborar com as autoridades para esclarecer as questões do processo em causa.

"A Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD confirma a realização de buscas às suas instalações. A Benfica SAD manifesta, como sempre, a sua total disponibilidade para colaborar com as autoridades no esclarecimento das questões suscitadas no âmbito da diligência em curso", lê-se num curto comunicado das 'águias'.

Fontes de Benfica e Santa Clara já tinham confirmado terem sido alvo de buscas, no âmbito de uma investigação relacionada com negócios no futebol, assim como a SAD do Sporting.

"A Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD confirma a realização de buscas por parte da Polícia Judiciária às suas instalações. Em causa um alegado crime de branqueamento de capitais referente ao período de 2011 a 2014. A Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD disponibiliza-se para colaborar com as autoridades para o esclarecimento de todo este processo", lê-se num comunicado da SAD 'leonina'.

Durante a manhã desta segunda-feira, a Procuradoria Geral da República (PGR) confirmou a realização de 29 buscas: "oito domiciliárias; uma, a uma fundação; seis, a instalações de três sociedades desportivas; nove, a outros tipos de sociedade; três, a dois clubes desportivos; e duas, a dois escritórios de advogados".

As buscas, de acordo com o mesmo documento, "decorrem em vários locais do país e contam com a participação de magistrados do Ministério Público e dos tribunais de Instrução Criminal, inclusive, o Central e elementos da Polícia Judiciária e da Autoridade Tributária".

"Nos inquéritos investigam-se factos suscetíveis de integrarem crimes de participação económica em negócio ou recebimento indevido de vantagem, corrupção ativa e passiva no fenómeno desportivo, fraude fiscal qualificada e branqueamento", refere a PGR, acrescentando que "estão em causa negócios de diversa natureza, todos relacionados com o futebol profissional".

De acordo com o mesmo comunicado, "investigam-se ainda a aquisição dos direitos desportivos e económicos dos jogadores por parte de clubes nacionais de futebol, empréstimos concedidos a um destes clubes e a uma sociedade desportiva por um cidadão de Singapura com interesses em sociedades sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas e a utilização das contas do mesmo clube e de outro, para a circulação de dinheiro".

Além das SAD, "as investigações incidem igualmente sobre o envolvimento de outros tipos de sociedades (algumas ligadas ao setor imobiliário)", devido ao "pagamento em dinheiro de prémios de jogo, a satisfação de dívidas pessoais de dirigentes, a utilização por estes de valores dos clubes e a omissão declarativa de operações fiscalmente relevantes".

A revista Sábado já tinha noticiado que duas das SAD investigadas seriam as de Benfica e Santa Clara, estando em causa dois processos, um sobre a transferência de jogadores líbios e outro relacionado com o caso Mala Ciao.