Desporto

PJ faz buscas no Instituto do Desporto e da Juventude por alegado favorecimento ao Benfica

Ex-presidente do IPDJ acusa atual presidente de favorecer o Benfica por pressão do Governo. 

O presidente do Instituto Português do Desporto e da Juventude é suspeito de ter protegido o Benfica na investigação às claques ilegais. Esta semana, a Polícia Judiciária esteve a fazer buscas no instituto dirigido por Vítor Pataco.

As suspeitas que caem sobre Vítor Pataco, atual presidente do Instituto do Desporto e Juventude, foram denunciadas pelo seu antecessor.

Em setembro de 2018, Augusto Baganha acusou o seu ex-vice-presidente de proteger o Benfica, por ter ignorado, durante meses, contraordenações sobre o alegado apoio do clube a claques ilegais. O ex-presidente do IPDJ falou ainda que as pressões para favorecer o Benfica chegavam do Governo através do secretario de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo.

Buscas no Benfica e no Santa Clara: o que está em causa

O Benfica e o Santa Clara foram alvo de buscas pela Polícia Judiciária, esta segunda-feira. Em causa estão suspeitas de corrupção desportiva associada à compra e venda de três jogadores líbios.

Ambos os clubes confirmaram a realização de buscas e mostraram disponibilidade para colaborar com as autoridades.

A investigação está ao cargo do Ministério Público, Polícia Judiciária e Autoridade Tributária. As autoridades acreditam haver crimes de participação económica em negócios, recebimento indevido, corrupção desportiva e branqueamento de capitais.