Desporto

Jogadora recusa homeagear Maradona por considerá-lo um "violador e pedófilo"

A espanhola Paula Dapena critica o antigo jogador de futebol pela forma como tratava as mulheres.

A jogadora de futebol espanhola Paula Dapena recusou homenagear o antigo futebolista Diego Maradona, no início do jogo amigável entre o Viajes Interrias FF e o Deportivo La Coruña, no sábado, em Abegondo, Espanha.

Em protesto, a jogadora de 24 anos que representa o Viajes Interrías, clube da terceira divisão feminina espanhola, sentou-se de costas no relvado durante o minuto de silêncio no início do jogo, enquanto as restantes jogadoras o cumpriam.

No final da partida, a futebolista referiu que no Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, assinalado a 25 de novembro, "não houve gestos destes".

"Se não se fez um minuto de silêncio pelas vítimas, também não estou disposta a fazê-lo por um abusador. Disse logo que não ia participar num minuto de silêncio por um violador, pedófilo e abusador", explicou.

Paula Dapena foi a única jogadora que decidiu não participar na homenagem a "El Pibe". No entanto, segundo o jornal local PontevedraViva, o treinador da equipa adversária disse-lhe, no intervalo do jogo, que entendia as razões de Dapena.

A jogadora espanhola considera que os valores de uma pessoa são mais importantes que a qualidade enquanto jogador, apesar de reconhecer que Diego Maradona tinha "qualidades futebolísticas espetaculares".

Homenagens a "El Pibe"

As homenagens ao argentino multiplicaram-se nos últimos dias pelo mundo durante jogos de futebol.

A FIFA tinha pedido às 211 federações um minuto de silêncio em todas as partidas entre sexta-feira e domingo para expressar o reconhecimento pelo ex-futebolista, que morreu na quarta-feira.

Veja também: